Eurogamer.pt

Digital Foundry - Jogámos 10 jogos Xbox One X que nos mostram do que é realmente capaz

Quantum Break, Titanfall 2, Gears of War 4, F1 2017, Shadow of War - e mais.

Existem dois lados na amostra da Xbox One X na Gamescom. Inicialmente, o colossal espaço da Microsoft parece albergar um pequeno leque de experiências familiares. Forza Motorsport 7, Assassin's Creed Origins e Super Lucky's Tale - jogos que vimos na E3 - acompanhados por uma impressionante versão a 4k nativa de Shadow of War. Além do jogo da Warner Bros., nada de novo. Forza 7 continua lindo (tal como a versão PC) enquanto os outro estão similares ao que já vimos.

No entanto, ao fundo, escondido atrás de uma cortina encontrámos novos jogos a correr na Xbox One X, de estúdios internos e externos, que mereciam o seu lugar no espaço principal. Estes jogos acrescentam imenso à nossa compreensão do quão poderosa a nova consola é e ajudam a responder a uma questão importante que ficou após a E3: até que ponto a Xbox One X melhora sobre a Xbox One base?

Os novos jogos são impressionantes: Gears of War 4, Halo Wars 2, Titanfall 2, Quantum Break, Killer Instinct, Path of Exile, World of Tanks e F1 2017, acompanhados por Rise of the Tomb Raider - a mesma demo que jogámos na Square Enix, ainda mais impressionante pois corria num ecrã de melhor qualidade. Podemos confirmar que todos os jogos estavam a correr numa Xbox One X - as unidades de produção estavam à vista, ligadas e com ar quente a sair da traseira, em contraste com as carcaças vazias e frias da E3 em vários jogos, as demos corriam num PC. A Gamescom 2017 foi a valer, a primeira oportunidade para ver como a nova consola se porta em vários jogos.

Como esperado, a conversão de Gears of War 4 da Coalition está excepcionalmente impressionante. A falta de capturas significa que ainda não podemos falar sobre todas as melhorias, mas mesmo a olho nu, a melhoria é substancial. A nível básico, tens 4K nativa num dos mais bem conseguidos jogos Xbox One, visualmente arrebatador, apoiado por texturas de alta resolução anteriormente exclusivas do PC. O filtro de texturas foi muito melhorado sobre a Xbox One base e nenhuma das melhorias parece afectar a performance. A campanha de Gears 4 mantinha os 30fps na Xbox One base - além da grande melhoria visual, a Xbox One X entrega o mesmo nível de performance, pelo menos baseado nos três níveis de campanha disponíveis.

Eis o trailer de revelação da versão Xbox One X de Rise of the Tomb Raider. Esperamos ter a nossa análise em breve.

Quantum Break da Remedy - anunciado na transmissão em directo no Domingo - também é uma amostra impressionante. Vimos um código sólido e polido, a correr a estáveis 30fps. Foi um dos poucos jogos que não corria a 4K nativa, ao invés disso, usa a mesma técnica de conversão de resolução usada na Xbox One base, baseado em dados acumulados dos quatro fotogramas anteriores. Certos cenários quebram a ilusão, dando uma ideia de como a tecnologia funciona - de momento, diríamos que a resolução base provavelmente está perto de 1080p antes da conversão inteligente ser aplicada. Independentemente, a nitidez adicional sobre o jogo na Xbox One base representa uma diferença do dia para a noite - mais à frente, será interessante ver que tipo de equipamento PC é preciso para ter a mesma apresentação na versão Windows.

Sabíamos que estava a caminho uma melhoria 4K para Killer Instinct, mas mais uma vez, foi um prazer ver o código final jogável. É uma evolução interessante para o jogo - relembrando que chegou ao lado da Xbox One base a nativa 720p. Uma posterior actualização subiu para 900p, mas a Xbox One X apresenta uma 4K cristalina sem quedas na performance. A única nódoa está nos vídeos, que permanecem inalterados e com um aspecto de baixa resolução ao lado da renderização 3D nítida. Juntamente com Killer Instinct a 4K limpa, 60Hz, temos Path of Exile - perfeito em movimento e claramente com um rácio de fotogramas completo, uma experiência ultra HD, como seria esperado de um jogo desta escala.

A surpresa foi F1 2017 da Codemasters. Tal como Rise of the Tomb Raider, opera a nativa 4K na Xbox One X, enquanto a versão PS4 Pro consegue a mesma 4K via checkerboard. A qualidade de imagem é sensacional - se não está ao nível de uma experiência PC de topo, está perto. No entanto, apesar do título colocar os 60fps como alvo, a actual performance não está lá, existem perceptíveis quedas e screen-tear. Não experimentamos ainda este jogo nas actuais consolas, por isso será curioso ver como se comparam as versões 1080p em termos de performance - e para ver como é a performance na PS4 Pro via checkerboarding - igual ou melhor ao que vimos na Xbox One X.

Gears of War 4 é um dos maiores feitos tecnológicos desta geração - na Xbox One, muitas das melhorias do PC chegam pela primeira vez às consolas.

Ainda assim, o facto é que Rise of the Tomb Raider e F1 2017 estão a adoptar 4K nativa em situações onde na PS4 Pro temos checkerboarding, e essa é uma comparação que não esperávamos ver. Afinal de contas, isto representa um aumento de 2x na resolução nativa de renderização entre a Xbox One X e a PS4 Pro, de equipamento com um aumento de 43% no poder computacional e 50% de aumento na largura de banda da memória. No entanto, a checkerboarding resulta e funciona mesmo muito bem para apresentar uma boa imagem em ecrãs 4K. Será interessante ver como se compara a qualidade de imagem nestes jogos PS4 Pro ao lado da imagem nativa na Xbox One X.

Também é evidente a clara melhoria visual em Titanfall 2, que se apresenta como um meio-termo entre a versão PS4 Pro e a experiência PC de topo. Tens o que parece ser o conjunto visual da consola da Sony, ao lado de uma nitidez extra vista no PC a correr numa resolução superior. Na verdade, tudo o que falta da apresentação Titanfall 2 de topo é a oclusão ambiental e alguns efeitos nas sombras. O gameplay 60fps mantém-se intacto, a demo de Respawn até puxa pelo motor com uma grande área com Titans em confronto. Outro sucesso palpável e a melhoria sobre a Xbox One base representa uma diferença da noite para o dia.

Teremos mais sobre Shadow of War, Assassin's Creed Origins e Halo Wars 2 em artigos próprios, consoante tivermos acesso aos vídeos, mas existem observações iniciais que podemos partilhar. Primeiro, parece que existem duas versões de Origins na Gamescom.

O espaço da Microsoft parece correr uma versão mais antiga do código com problemas para apresentar as texturas de alta resolução a meio e a longa distância, resultando em texturas esborratadas e arte em baixa resolução - artefactos ausentes do lindo trailer E3. Felizmente, visitamos o espaço da Ubisoft para capturar algo mais sólido - os LODs ainda não estão ao nível do trailer E3, mas estão muito perto. Os programadores disseram-nos que estão focados primeiro na resolução e querem colocar os LODs ao nível desejado mais perto do lançamento.

Quantum Break é outro título que realmente puxa pela consola de actual geração, como este vídeo demonstra.

Em conversa com a Monolith, foi-nos confirmado que Shadow of War foi representado por um PC de topo na sua revelação na conferência E3 da Microsoft. No entanto, a Xbox One X oferece uma experiência 4K nativa muito similar, a performance corre muito bem a 30fps - os únicos problemas surgem quando existem centenas de entidades no jogo. A Monolith está mesmo a puxar pelo motor aqui e a performance pode descer, mas o estúdio ainda tem muito tempo para corrigir os problemas. Também olharemos para Halo Wars 2 com maior profundidade em breve, mas as impressões iniciais sugerem que, juntamente com World of Tanks, temos uma conversão directa de um jogo Xbox One a 1080p30 para nativa 4K na X, com um nível de performance similar.

Destiny 2: Tudo o que sabemos Destiny 2: Tudo o que sabemos

No geral, a Xbox One X conseguiu na Gamescom o que não conseguiu na E3 - mostra-nos vários jogos de estúdios internos e externos que trabalham em jogos indie, AA e AAA, para nos dar uma primeira impressão de como os criadores de jogos estão a utilizar a nova consola. A Monolith Studios disse-nos que trabalhar na X é basicamente o mesmo que desenvolver para o modelo base, mas com muito mais poder de processamento. A simplicidade do desenvolvimento provavelmente explica a consistência nos resultados que vimos em vários jogos, independente do material fonte. A conversão aqui vai ao encontro da mensagem da Microsoft, sem falar nos primeiros benchmarks.

É essa consistência nos resultados - dos jogos que vimos até agora - que é encorajadora. Em todos os jogos PlayStation 4 Pro que são lançados, existe uma sensação de incerteza sobre as melhorias feitas, e até que ponto o investimento num ecrã 4K recompensa. Tal como a Sony, a Microsoft deixou a porta aberta para os programadores decidirem o que fazer, mas baseado nos jogos que já vimos, a deliberação entre os dois modelos parece mais clara - a Xbox One X é uma consola para o teu ecrã 4K, e tudo o resto que for adicionado é um bónus. É uma amostra impressionante e com mais de 100 jogos já confirmados para optimização Xbox One X, provavelmente estaremos muito ocupados a partir de 7 de Novembro.

Publicidade

Comentários (42)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!