Eurogamer.pt

Bayonetta corre lindamente no PC - mesmo em máquinas antigas

Uma GPU de 5 anos consegue 1080p60, e equipamento mais moderno?

Depois de anos à espera, a SEGA finalmente colocou Bayonetta no PC. Este é o jogo original sem qualquer uma das falhas inerentes às versões de consola, e a capacidade do PC para aumentar a resolução. Dizer que corre de forma muito suave é dizer pouco - pode chegar a 1080p60 fixos numa 1GB Radeon HD 7770, gráfica barata lançada em 2012. Com equipamento mais recente, fica melhor.

Sendo um jogo desenhado especificamente para consolas, não esperávamos muito em termos de definições mas existem opções dignas de nota. Podes ajustas a qualidade das texturas e sombras e o jogo até indica o uso VRAM baseado nas definições. Pelo menos tenta indicar isso - os número são muito inferiores aos que são registados por ferramentas como MSI Afterburner. Apenas a qualidade das sombras dinâmicas parece variar imenso, dependendo da tua escolha.

Quais as novidades sobre a Xbox 360? A oclusão ambiental é uma novidade, e temos MSAA até 16x - apesar disto parecer não funcionar em qualquer uma das definições testadas. No entanto, o filtro anisotrópico está presente num nível baixo na 360 e pode ser aumentado para 16x o PC, uma bela melhoria. Também existe opção para HDR - mas isto refere-se ao sistema de iluminação do jogo, não representa suporte para ecrãs HDR. Ainda assim, este jogo é leve nos recursos, podes colocar tudo no máximo e ir mais além na resolução, e é aí que tens a tua anti-aliasing - via downsampling.

Com a vasta quantidade de margem na GPU, 1080p é apenas o início numa gráfica mais moderna. Usando VSR da AMD ou DSR da Nvidia para suporte super-sampling, é possível chegar a um nível de qualidade que excede os 720p da Xbox 360 e Wii U. A melhoria na qualidade de imagem é dramática. Apesar da idade, a arte de Bayonetta ganha vida em resoluções superiores. Os detalhes mais distantes são nítidos e definidos enquanto o brilho e aliasing são completamente eliminados. Os designs da Platinum aguentam-se mesmo bem em resoluções superiores - testamento da qualidade das texturas originais.

Bayonetta no PC comparado com as consolas - nem há hipótese, é a melhor forma de jogar o jogo.

Além de confirmar uns belos 1080p60 numa Radeon HD 7770, testámos uma GPU mais moderna, a Nvidia GTX 980 Ti - equivalente à GTX 1070 dos dias de hoje - que consegue 4K60. Subindo a resolução para 2880p (5K se quiseres), o jogo continua a correr de forma suave. Na verdade, a performance é similar à da Radeon HD 7700 a full HD - sem problemas na maioria do tempo, apenas ligeiros soluços em efeitos que usam muitas transparências alpha. Também testámos com uma GTX 970 a 4K, com overclock - a performance é na mesma superior à de qualquer consola (mesmo na Xbox One via retro-compatibilidade) mas o rácio de fotogramas tende a sofrer em áreas mais intensas. Precisas baixar a resolução para correr a 60fps.

Seria um exagero dizer que podias correr Bayonetta numa torradeira, mas os requisitos para uma grande experiência são surpreendentemente baixos. Um Core i5 3570K de 2012 apresenta um uso GPU no máximo de 30%. Se correres os teus jogos a partir de um SSD, os tempos de carregamento são tão rápidos que quase nem tens tempo para praticar os movimentos com os tutoriais. É um alívio mas é o que deveríamos esperar tendo em conta que o jogo Xbox 360 foi lançado há sete anos e meio.

Fora a AA que não funciona, existem contra-partidas nesta versão? Bayonetta está bloqueado a 60fps, logo se quiseres algo superior não podes ter. Não surpreende tendo em conta a ideia e a habitual falta de suporte da Platinum para rácios de fotogramas superiores. As cutscenes continuam a correr a 30fps, e o ritmo de fotogramas pode tropeçar aqui.

Esta versão PC faz quase tudo o que precisa - uma grande versão de um clássico que ainda se aguenta bem, graças ao estilo visual e gameplay soberbo. Também é uma boa versão em termos de preservação. Assegura que temos acesso a uma versão de Bayonetta sem problemas na qualidade de imagem ou performance, disponível numa plataforma aberta onde o jogo se pode adaptar a equipamento do futuro. É a forma perfeita de o revisitar, ou até jogar pela primeira vez - é altamente recomendada.

Publicidade

Comentários (11)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!