Eurogamer.pt

Championship Manager 2010

De volta aos bons velhos tempos.

Champioship Manager 2010 já está aí e esta é certamente a melhor altura para o seu lançamento. Com os planteis actualizados, com o mercado calmo e com as emoções ao rubro. Esta série pode ser considerada como um dos “dinossauros” dos videojogos, pois está no mercado há já 17 anos. Infelizmente a sua qualidade tem vindo a decrescer ano após ano, principalmente desde a saída do seu grande rival Football Manager.

Como sabem, CM 2009 estava previsto para Abril deste ano, a Eidos decidiu adiar o lançamento para que a qualidade não ficasse comprometida. Com o lançamento adiado para Setembro, o nome do jogo passou para CM 2010. Felizmente o objectivo foi atingido, a qualidade de CM 2010 faz com que seja um verdadeiro concorrente de Football Manager.

No início do jogo temos que seguir os passos habituais, começamos a temporada com os planteis actualizados (existe um update de Setembro para o efeito). Lamentavelmente o jogo não está localizado em português, sendo um entrave para quem não domina fluentemente outra língua. Outra fraqueza do título é o facto da liga portuguesa não ser oficial, os clubes não têm os respectivos emblemas e as competições europeias também são fictícias.

Nesta nova versão a Beautiful Game Studios tenta rejuvenescer o franchise, com um look mais apelativo e a inclusão de um novo motor 3D para a visualização das partidas, onde até a chuva marca presença. Já não somos obrigados a observar os encontros com aqueles jogadores descaracterizados, esta mudança é positiva pois vem acrescentar maior realismo aos encontros.

1

Este motor 3D está fantástico.

Apesar do maior realismo conseguido através do novo motor 3D, este nem sempre é convincente. Muitas das jogadas são estranhas, com passes ridículos e golos algo irreais. Mas também existem pormenores interessantes, como o facto de Oscar Cardozo puxar a bola para o seu belo pé esquerdo e Di Maria a correr desenfreadamente com a bola colada aos seus pés. Realmente as características individuais dos jogadores têm algum reflexo no jogo.

Há que dar crédito à Beautiful Game Studios, apesar dos defeitos que este motor possui. Temos várias câmaras à nossa disposição e várias velocidades de jogo. A informação disponível está com um acesso simples e eficaz, o desenrolar dos encontros é fluido e a movimentação dos jogadores é muito boa. Eles fintam, cruzam, fazem chapéus, rasteiras e simulações. É divertido observar quando um jogador salta para a piscina à espera que o arbitro assinale um penalti, a resposta a essa simulação é o respectivo cartão amarelo.

Publicidade

Comentários (11)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!