Eurogamer.pt

"Os senhores de fato decidiram que os jogadores não querem mais jogos de skate"

Diz o designer do primeiro Tony Hawk.

Depois de um longo período de imensa popularidade, os jogos de skate começaram a ficar cada vez mais raros e actualmente são praticamente inexistentes. Segundo o designer do primeiro Tony Hawk, a resposta está nas editoras.

Chris Rausch foi o designer nos primeiros seis jogos da série Tony Hawk da Activision e numa conversa com o Game Brain, que podes ouvir em baixo, falou sobre o que pensa do género e do seu futuro.

Tony Hawk's Pro Skater 5 foi o último jogo do género, lançado em 2015, e é referido como o prego final que pode ter colado definitivamente o género na gaveta.

"Penso que o jogo Tony Hawk 5 realmente acabou com as possibilidades, o que é pena pois sabes que existe audiência. Vendeu o suficiente, certamente vendeu melhor do que Shred, mas quando ouvi sobre o jogo pela primeira vez e vi o que era e o consegui experimentar. Na altura seria um digital a 20€, ao longo do caminho decidiram que seria colocado numa caixa e vendido a 50€."

"Foi outra coisa que magoou as perspectivas e a reputação do jogo. As pessoas teriam sido mais meigas se fosse mais barato, mas penso que foi uma daquelas coisas em que sabes que existe audiência, sabes que querem mais e não lhes dás algo que vale a pena; depois todos os senhores de fato decidem que as pessoas não querem mais jogos de skateboarding."

Rausch acrescentou ainda que, "Bem, claro que elas querem, querem um jogo melhor, um que seja muito mais fixe."

Enquanto a EA e a Activision não parecem interessadas em apostar novamente num jogo do género, Tony Hawk está a trabalhar num novo jogo de skateboarding, mas ainda não foi anunciado nada de concreto.

Publicidade

Comentários (37)

Criar uma nova conta

OU