Eurogamer.pt

LEGO Marvel Super Heroes 2 - Análise

Uma celebração da Marvel.

A sequela aposta no lema "mais é melhor".

É mais uma grande homenagem à Marvel, mas a fórmula LEGO começa a acusar desgaste e isso faz-se sentir num jogo com poucas novidades.

Depois de LEGO Marvel Super Heroes em 2013 e LEGO Marvel's Avengers em 2016, a Traveller's Tales e a Warner Bros. Interactive Entertainment estão de volta com LEGO Marvel Super Heroes 2, uma nova e energética celebração do universo da Marvel Comics. Os jogos da LEGO há muito que estabeleceram o seu apelo: visuais coloridos patrocinam experiências protagonizadas pelas versões LEGO de figuras conhecidas de vários universos, num gameplay relativamente simples que combina segmentos de exploração/quebra-cabeças com combates. São jogos para fãs de todas as idades que se apaixonaram pelas propriedades com as quais colabora. Tratando-se de um jogo da Marvel Comics, o potencial é ainda maior e a legião de fãs dos comics certamente agradece mais uma oportunidade para entrar nos diversos mundos.

Para a sequela, o lema parece ter sido "mais é melhor" e temos o maior jogo da LEGO Marvel que podes imaginar. Mais de cem personagens (com variantes alusivas a vários arcos narrativos) num jogo que quase inevitavelmente se torna numa festa do Marvel Cinematic Universe. A Marvel precisa de promover os seus filmes, a LEGO precisa de promover os brinquedos e sets criados a pensar nesses filmes, juntando-se o útil ao agradável. Assim se explica a ausência dos X-Men (grupo altamente popular que por si só justificaria um jogo seu - algo do qual poucos grupos da Marvel se podem gabar) e temos um foco em personagens ou grupos como os Defensores, Guardiões da Galáxia (praticamente desconhecidos antes de 2014), Inumanos, Doutor Estranho, Pantera Negra ou Thor (com frequentes alusões ao filme Thor: Ragnarok). Ainda assim, a TT consegue ir além dessa previsível postura, o que apenas beneficia o jogo.

LEGO Marvel Super Heroes 2 recorre ao MCU para a sua estética e personagens, mas ainda vai buscar imenso aos comics. Será fácil relembrar o arco Avengers: Unleashed - Kang War One, escrito por Mark Waid, que começou em Novembro de 2016 e terminou em Abril de 2017. Neste fantástico arco, desenhado pelo não menos fantástico Mike Del Mundo, Kang viaja por diversas eras na linha do tempo e estabelece controlo total sobre elas para gerir o seu império no futuro. A solução para o vencer é viajar no tempo e reunir diferentes equipas dos Vingadores para atacarem em simultâneo diferentes momentos no tempo. LEGO Marvel Super Heroes 2 parece beber imenso desse arco de história e adapta-o para o MCU com muito humor e tontice LEGO. Kang pretende impressionar Ravonna Lexus Renslayer e para isso ajuda diversos vilões em várias eras ou diferentes universos da Marvel, juntando esses diferentes locais em torno da sua base, Chronopolis, que anexou logo ao lado de Nova Iorque. O resultado é uma corrida por diferentes eras e universos, enquanto os heróis da Marvel tentam derrubar Kang e aliados.

"Vários quebra-cabeças inteligentes, constantes referências para os fãs e momentos divertidos num gameplay que já se tornou demasiado familiar."

Para albergar uma épica odisseia pelo espaço e tempo, LEGO Marvel Super Heroes 2 apresenta-te um enorme mundo aberto composto pelos diferentes locais do universo Marvel. Logo ao lado de Manhattan, onde fica a Mansão dos Vingadores, Kang anexa a sua Chronopolis e conforme vais progredindo na história, passarás por K'un-Lun, Wakanda, Asgard, Sakaar, Xandar, Knowhere e tudo o que é preciso para te aumentar a vontade em assistir aos filmes ou séries televisivas da Marvel, caso ainda não o tenhas feito. Existe na mesma espaço para o universo 2099, Atlantis, Manhattan Noir (dos melhores momentos do jogo) e outros locais ou personagens dos comics, mas na maioria este aglomerado de locais reunidos por Kang num só, servem quase como uma promoção para o universo cinemático. O que importa é que são o palco para momentos divertidos.

Nesta festa do universo da Marvel, o foco na quantidade como grande diferenciador permite realmente um jogo capaz de surpreender, mas o gameplay não parece acompanhar essa sede por crescimento e tens basicamente uma experiência familiar, talvez demasiado até. Os jogos LEGO marcam pelo seu humor e inteligente uso das propriedades que explora, mas isso é um traço já esperado nestes jogos. Onde os fãs esperam ver evoluções é no crescimento do gameplay e na forma como exploramos estes mundos. Os níveis estão espalhados pelo grande mundo aberto que podes percorrer a voar e assim que entras nestas missões de história, começam os desafios. Para progredir e chegar ao boss, precisas resolver quebra-cabeças, destruir partes do cenário para criar peças que te permitem progredir e derrotar os adversários. Tudo isto enquanto exploras os cenários à procura de segredos que te dão acesso a mais personagens e extras.

Os diversos quebra-cabeças obrigam-te a recorrer aos vários personagens ao teu dispor nesse nível (mais tarde poderás voltar e trocar para o herói que quiseres e desbloquear mais segredos) e a grande maioria das boss fights exige a resolução de um quebra-cabeças para triunfar. Os níveis variam de qualidade e nem todos têm um bom ritmo. Já nas boss fights, poucas conseguem ficar na memória e a sensação que fica é a de um jogo que podia ter melhor ritmo. LEGO Marvel Super Heroes 2 é tudo o que seria de esperar de um jogo LEGO, sendo provavelmente esse o seu grande problema. A fórmula é conhecida, a experiência de jogo também, ficando uma constante procura por uma surpresa. Usar o traje da Marvel é o principal apelo deste gameplay.

1

LEGO Marvel Super Heroes 2 é uma autêntica promoção aos filmes e séries televisivas da Marvel. Assim se explica o foco em grupos relativamente desconhecidos das massas, como os Inumanos ou os Defensores, enquanto os X-Men e o Quarteto Fantástico ficam de fora.

LEGO Marvel Super Heroes 2 funciona melhor com a companhia de um amigo, ou familiar, a teu lado. Frequentemente sentirás que a experiência é prejudicada pela inteligência artificial. Sendo um jogo desenhado principalmente para os mais pequenos (também para os graúdos que se apaixonaram por estes personagens quando eram pequenos), poderá tornar-se frustrante querer resolver um quebra-cabeça e não conseguir porque os nossos camaradas estão simplesmente parados. Quebra a imersão e banaliza a sensação de desafio. Outro dos problemas em LEGO Marvel Super Heroes 2 que poderás encontrar são ocasionais bugs que te impedem de progredir. Ao longo dos 21 níveis da história apenas encontrei 4, mas forçaram-me a reiniciar o nível e espero que sejam corrigidos numa actualização.

"Facilmente ficarás com a sensação de que não há muito de propriamente novo ou fresco neste LEGO Marvel Super Heroes 2"

Como referi, a aposta este ano foi para a quantidade, o que se reflecte num jogo com numerosas personagens da Marvel, um mundo aberto repleto de diversas missões secundárias, muitas actividades opcionais, muitos extras para desbloquear em cada nível da história em modo Free, e uma quantidade incrível de horas que podes passar a explorar estes locais. No entanto, facilmente ficarás com a sensação de que não há muito de propriamente novo ou fresco neste LEGO Marvel Super Heroes 2. Esse é o grande problema desta nova aposta da TT, que chega um ano e dez meses depois do anterior jogo LEGO Marvel. Há ausência de novas ideias que levem este gameplay para outro patamar, de mecânicas mais profundas ou de uma inteligência artificial mais competente. Este é um jogo especialmente indicado para as crianças, mas os fãs mais graúdos vão ficar a pensar que poderia ser mais do que isso.

LEGO Marvel Super Heroes 2 é um jogo altamente divertido, disso não tenham dúvidas. Na grande maioria do tempo, essa é a única preocupação da Traveller's Tales, simples e bem humorada diversão. No entanto, pelo meio de níveis inteligentes, repletos de constantes referências que os maiores adeptos dos comics terão orgulho em perceber, existem outros níveis menos divertidos, mais aborrecidos e nenhuma boss fight se consegue destacar, o que é pena perante o potencial de um universo como este. A aposta na quantidade permite um jogo com uma duração incrível, mas o seu gameplay já é demasiado familiar e o foco no uso dos poderes dos diversos personagens para resolver alguns bons quebra-cabeças apenas faz a sua parte. Este é um jogo para os fãs que apreciam o universo da Marvel, mas a TT terá de começar a esforçar-se a sério e sair da zona de conforto.

Publicidade

Comentários (4)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!