Eurogamer.pt

Será que o Elite Dangerous é melhor na Playstation?

A Pro é mais poderosa, mas a Xbox One tem uma melhor performance que a PS4.

Recentemente, a Frontier Developments celebrou a chegada do Elite Dangerous à Playstation, juntando-se finalmente às versões para PC e para a Xbox One. Existe uma razão pela qual só estamos a falar deste jogo agora: a versão para a PS4 foi lançada com o v-sync desativado, resultando numa apresentação abaixo do pretendido. A Frontier pediu que nós esperássemos por um hotfix, o qual foi lançado na segunda-feira passada. A apresentação do jogo torna-se melhor com este update, mas o Elite Dangerous parece continuar a não estar no seu auge.

A um nível de base, tanto a versão da Xbox One como da PS4 operam usando uma parte do grande leque de opções gráficas que o Elite Dangerous possui no PC, com todas as versões a correrem numa resolução nativa de 1080p. A Playstation 4 Pro suporta dois modos, qualidade e performance, mas 1080p é a resolução máxima, pois ainda não foi integrada nenhuma funcionalidade que permitisse alcançar uma resolução maior. Ou seja, a nível de resolução todas as versões são iguais, mas continuam a existir diferenças nos gráficos de cada versão deste jogo. Se usarmos as missões de treino como base para o estabelecimento de uma comparação, o modo de performance da Pro oferece exatamente os mesmos visuais que uma PS4 normal. A única diferença é que o jogo corre a uma frame-rate substancialmente mais alta.

Por outro lado, a versão da Xbox One não é bastante semelhante, e a diferença mais imediata é o detalhe do terreno. Os detalhes distantes estão mais definidos na PS4, comparando com o resultado mais simples alcançado pela Xbox One. No entanto, a consola da Microsoft desfruta de uma vantagem pequena mas importante: o anti-aliasing usado é mais parecido com aquele que é usado nas definições mais altas da versão para PC (SMAA), enquanto que a PS4 e o modo de performance da Pro optam por um FXAA menos impressionante, o qual adiciona blur distante ao detalhe das texturas. Nos outros aspetos, as versões para PS4 e Xbox One são bastante parecidas, tendo apenas pequenas variações: por exemplo, a qualidade das sombras é semelhante, mas a draw distance dos objetos é melhor nas consolas da Sony.

Aqui podes ver uma comparação do Elite Dangerous a correr na PS4, Pro e Xbox One, assim como a versão para PC.

De facto, a PS4 tem uma vantagem pois eleva a fasquia das definições gráficas, mas ficamos desapontados com a baixa qualidade do anti-aliasing. É possível que haja mais diferenças caso procuremos a fundo, mas de uma forma geral é difícil encontrar diferenças notáveis - especialmente se tivermos em conta que a maioria do jogo ocorre no espaço. Relativamente ao aspeto visual deste jogo, não há dúvida de que se trata de um jogo bem-parecido, não havendo diferenças consideráveis entre as diferentes versões deste título. Portanto, é improvável que alguém sinta que está em desvantagem, independentemente de qual versão escolher jogar.

Porém, existe um problema com a performance. No lado positivo, 60fps é a frame-rate adotada em todas as versões, e com a introdução do update 1.3 foi ativada a v-sync na PS4. No entanto, as evidências sugerem que a Xbox One tira partido do triple-buffering, enquanto que a PS4 e a Pro apenas usam o double-buffering, levando a que ocorram resultados surpreendentes quando estas versões são comparadas diretamente.

Ao navegar por complexas estações espaciais, a Xbox One obtém uma performance melhor constantemente, parecendo que alcança os limites do GPU. Entretanto, a versão da PS4 sofre várias alterações na frame-rate, ocorrendo quedas de 60fps para 30fps em zonas densas, uma consequência do double-buffer v-sync. Na prática, isto significa que enquanto que a Xbox One corre a 40fps nestas zonas densas, a PS4 corre 10fps mais abaixo. Em ambos os casos, não se trata de uma frame-rate ideal, mas nos momentos em que precisas de efetuar manobras complexas com a tua nave, vai ser a Xbox que te vai dar um feedback visual melhor, assim como uma melhor resposta dos controlos. O mesmo se passa quando tens de aterrar num planeta, com 30fps na PS4, e uma variação de 30-50fps na One. Tendo em conta que a consola da Sony tem um GPU melhor, este resultado foi inesperado.

PCPS4 Pro - Modo de QualidadePS4/PS4 Pro - Modo de PerformanceXbox One

O Elite Dangerous corre a uma resolução nativa de 1920x1080 em todas estas consolas, colocando a PS4 e a Xbox One no mesmo nível de qualidade de imagem. Surpreendentemente, até mesmo a PS4 Pro faz render a 1080p, independentemente de usar o modo 'performance' ou 'qualidade'.

PCPS4 Pro - Modo de QualidadePS4/PS4 Pro - Modo de PerformanceXbox One

As definições visuais variam entre as diversas versões - apesar de a PS4 e o Modo de Performance da Pro usarem definições semelhantes. A Xbox One tem draw distances mais reduzidas. Repara que que a caixa central do lado esquerdo está em falta, enquanto que todas as outras plataformas conseguem apresentar a caixa a esta distância.

PCPS4 Pro - Modo de QualidadePS4/PS4 Pro - Modo de PerformanceXbox One

O detalhe do terreno varia bastante entre todas as plataformas. O Modo de Qualidade da Pro é igual ao PC, com um maior texture filtering, ambient occlusion e quality deformation. A Xbox One fica atrás das outras plataformas, com um nível de detalhe mais reduzido..

PCPS4 Pro - Modo de QualidadePS4/PS4 Pro - Modo de PerformanceXbox One

Existe uma clara diferença no anti-aliasing. O Modo de Performance da Pro, assim como a PS4, parecem usar FXAA - enquanto que o Modo de Qualidade da Pro usa SMAA, tal como o PC.

PCPS4 Pro - Modo de QualidadePS4/PS4 Pro - Modo de PerformanceXbox One

Aqui podemos ver o terreno mais detalhado quando usamos o PC ou o Modo de Qualidade da PS4 Pro.

A introdução de um limite de 30fps talvez fosse uma boa ideia, mas a maioria do jogo ocorre no espaço, um lugar com poucas variações na frame-rate de 60fps, por isso a introdução deste limite parece ser improvável. Ou seja, as quebras e dificuldades relacionadas com as manobras da nave e a entrada na órbita dos planetas parecem ser mitigadas pelo decorrer fluído do jogo quando nos encontramos a viajar pelo espaço.

Entretanto, a Playstation 4 Pro oferece dois modos de render interessantes: se usares o modo de qualidade, o jogo irá alcançar um nível mais elevado de definições visuais, proporcionando uma experiência mais semelhante à do PC. Quase todas as definições são melhoradas, desde o nível de detalhe, efeitos e qualidade das sombras, até à adição de oclusão ambiental, entre muitos outros.

Para além disso, o anti-aliasing também sofre um boost, passando de FXAA (Modo de Performance) para SMAA, tal como no PC. Outra melhoria notável é o detalhe do terreno - o terreno torna-se muito mais detalhado, apoiado pela grande melhoria na qualidade do texture filtering. De uma forma geral, existe uma maior definição e qualidade na paisagem e nos detalhes das texturas, mesmo quando nos aproximamos.

Inevitavelmente, isto implica algumas desvantagens, principalmente a nível de frame-rate. Com o modo de performance ativado, as nossas ferramentas de performance mostram um gráfico com 60fps constantes. A única situação na qual ocorre alguma variação é quando voas próximo da superfície de um planeta, rondando os 50fps. Mas de uma forma geral, este modo é superior ao modo de qualidade, o qual é muito mais semelhante a uma PS4 normal, na qual existem zonas que apenas alcanças 30fps.

Nos nossos testes começamos a jogar no modo de qualidade, mas acabamos por trocar para o modo de performance pelo facto de que nos proporciona uma experiência mais próxima dos 60fps fixos numa consola - mas quando comparado com os resultados da Xbox One, sentimos que a Pro deveria ter alcançado uma performance maior. Relativamente à PS4 normal, esperamos que a implementação da v-sync possa ser melhorada para se aproximar mais dos resultados obtidos pela Xbox. Tendo isto em conta, os portes para as consolas conseguiram alcançar um bom resultado, mas continuam a não proporcionar uma experiência constantemente fluída, tal como o PC faz. Ou seja, o PC continua a proporcionar a derradeira experiência do Elite Dangerous.

Publicidade

Comentários (14)

Criar uma nova conta

OU