Eurogamer.pt

Injustice 2 - Análise

Mais do que um jogo de luta.

Injustice 2 têm um modo história que envergonha outros jogos do mesmo género.

Injustice 2 não é apenas um excelente jogo de super-heróis, é igualmente um dos jogos de luta mais competentes da actualidade.

Injustice 2 é actualmente a melhor referência dos jogos de luta. A Netherrealm, mais conhecida pela série Mortal Kombat, já tinha vindo a mostrar uma grande perícia e experiência a criar jogos deste género, mas com Injustice 2 atingiu um novo patamar e criou um título exemplar no qual todos os outros produtores e estúdios devem por os olhos. De certo modo, a fórmula aqui usada é a mesma de Mortal Kombat X (já explico o porquê), todavia, há novidades e pequenos pormenores que o tornam num dos mais completos na categoria dos jogos de luta.

Antes de mais, uma pequena introdução. Injustice 2 é uma sequela directa do primeiro e junta, num jogo de luta, diversas personagens do universo DC Comics. Os jogos de luta são olhados, por vezes, como demasiado complexos, requerendo que dediquem muito tempo para dominar as mecânicas e os muitos combos de cada personagem. Embora Injustice 2 tenha também, se quiseres, esta faceta hardcore, consegue ser em simultâneo um jogo de luta acessível que agradará tanto aos fãs do género como àqueles que procuram apenas desfrutar da história e de lutar com personagens populares como o Batman e Superman.

"A melhor referência dos jogos de luta"

Algumas das mecânicas serão familiares para quem jogou o Mortal Kombat X, principalmente no que toca à movimentação e animação das personagens, que transmitem a mesma sensação. Um dos elementos mais importantes de Injustice 2 é o Meter Burn, que é essencial para tirar proveito máximo do sistema de combate. Cada personagem tem combos pré-definidos e ataques especiais, e nenhum deles é particularmente difícil de executar, no entanto, se quiserem fazer combos maiores (daqueles que o oponente anda a voar de um lado para o outro e a ser espancado no ar), vão precisar do Meter Burn, uma barra dividida em quatro partes.

Esta barra vai enchendo à medida causam e sofrem dano, e pode ser usada para quebrar combos dos adversários, cancelar a animação para preparar um combo maior, e executar variações mais poderosas dos ataques especiais. Quando está completamente cheia, a barra também serve para executar os Super Moves, que são ataques poderosos e cinemáticos. A Meter Burn serve ainda para criar os momentos de embate entre os dois lutadores, em que ambos trocam palavras acesas enquanto medem forças. Nestes momentos têm que apostar uma ou várias partes da Meter Burn, e se vencerem, vão receber até 33 porcento da vida ou causar 33 porcento de dano ao adversário, dependendo se estão a atacar ou a defender.

Se isto vos parece muito complicado, não se preocupem, há um tutorial extenso que vos explica todas as mecânicas de Injustice 2. Há também um modo de treino onde podem colocar no ecrã as combinações dos combos e ataques especiais, e consultar a frame-data dos ataques (o que deverá agradar aos mais dedicados). Para além de ser um jogo acessível, mas também profundo e complexo, oferece exactamente aquilo do que estávamos à procura: confrontos épicos entre super-heróis. É um jogo de luta extremamente bem conseguido, com muita diversidade de personagens, e todas elas com uma adaptação de alta qualidade.

O modo história é um dos melhores que podem encontrar nos jogos de luta. Há jogos de luta que se limitam a ter um modo arcade com um pequeno vídeo ou cinemática no fim para cada personagem, todavia, Injustice 2 oferece um verdadeiro modo história com princípio, meio e fim. A história é continuação do anterior, pelo que se não jogaram, ficarão sem saber alguns detalhes, contudo, é fácil de perceber o que aconteceu anteriormente. Na sequela o grande vilão é Braniac, uma personagem bem conhecida para quem acompanha as bandas desenhadas do Superman. Braniac, um coleccionador de mundos, chegou à terra e quer encolher as nossas cidades para as adicionar à sua colecção, e durante esse processo, absorver todo conhecimento dos humanos.

1

Gorila Grodd é um dos novos lutadores da sequela.

Com uma divisão em vários capítulos, o modo história dá-nos a oportunidade de escolher em cada um deles uma de duas personagens Se quiserem desfrutar de tudo, inclusive conhecer os dois finais diferentes, terão que repetir a história duas vezes. A história é fantástica para quem adora super-heróis, e para ser completamente directo, é muito melhor do que as adaptações ao cinema como Batman vs Superman: Dawn of Justice e Suicide Squad. Há que elogiar os actores de voz pelo seu trabalho fenomenal, um elemento que ajuda imenso na caracterização das personagens, e nas sequências cienmáticas que ligam os momentos de luta. A Netherrealm criou um modo história digna de um blockbuster e que aproveita bem o universo da DC Comics.

"A Netherrealm criou um modo história digna de um blockbuster e que aproveita bem o universo da DC Comics."

Mas o modo história é apenas uma das coisas que Injustice 2 tem para oferecer. O Multiverso e o sistema de gear / loot dão a Injustice 2 uma longevidade praticamente infinita. O multiverso é um sistema parecido às living towers de Mortal Kombat. No multiverso há novos desafios diários com diferentes requisitos e dificuldades. Os desafios são muito variados, por exemplo, num dos desafios caíam mísseis do céu se qualquer personagem estivesse parada durante alguns segundos. Noutro desafio choviam esporadicamente corações, o que permitia ganhar vida. Estes desafios são os mais acessíveis, porque se quiserem enfrentar os mais complicados, têm que evoluir uma personagem até nível 20 e equipar-lhe bom equipamento.

A Netherrealm adoptou em Injustice 2 um sistema nunca antes visto num jogo deste género. Ao completarmos o modo história, desafios do multiverse e ao subir de nível com as personagens, ganhámos as Mother Boxes, que são basicamente caixas com peças de equipamento. Existem Mother Boxes de diferentes categorias, do bronze ao diamante, e como seria de esperar, as de diamante são as que contêm melhor equipamento. Devido à grande quantidade de personagens, é incomum o equipamento que queremos para a personagem que mais usámos, mas é um sistema viciante e que, surpreendentemente, funciona bem em Injustice 2. As peças de equipamento, além de aumentarem as estatísticas das personagens, modificam a sua aparência. Até podemos equipar shaders para alterar a coloração da armadura e manter as estatísticas de uma peça e trocar o seu visual por outro.

2

O sistema de equipamento permite alterar drasticamente o visual das personagem.

Além da grande longevidade que os modos a solo oferecem, podem testar no modo online as vossas capacidades contra outros jogadores. Se quiserem competir a sério, há o modo Ranked, mas se por outro lado preferem algo mais relaxado e casual, têm o modo Unranked. Sempre que vão enfrentar um oponente, podem ver a qualidade da sua ligação e também as vossas probabilidades de vencer. Se não gostarem das probabilidades ou da qualidade da ligação, podem recuar e tentar encontrar outro adversário. Não se aventurem no online até saberem jogar bem com pelo menos uma personagem, ou arriscam-se a ser "carne para canhão".

"Em conteúdos é extremamente completo, graças ao modo história surpreendente e ao multiverse, que prolonga a longevidade por muitas horas"

Quanto mais jogámos Injustice 2, mais nos apercebermos da atenção que a Netherrealm prestou às pequenas coisas. É um jogo de luxo que tem mais do que seria de esperar para um jogo do género. Em conteúdos é extremamente completo, graças ao modo história surpreendente e ao multiverse, que prolonga a longevidade por muitas horas. Visualmente, é arrebatador e, em certos momentos, é quase como se estivéssemos a ver um filme no cinema. Os cenários têm pormenores que saltam à vista e podemos interagir com alguns deles, usando-os como armas contra o nosso adversário. Em cada cenário também podemos mandar o adversário para fora dos limites, iniciando um momento espectacular e cinemático.

Injustice 2 não é apenas um excelente jogo de super-heróis, é igualmente um dos jogos de luta mais competentes da actualidade. Em termos de conteúdos para um jogador, simplesmente não tem rival. O sistema de combate é acessível, mas também consegue ser complexo e equilibrado. Em simultâneo, introduz com sucesso um sistema de equipamentos e de personalização das personagens que até agora era impensável no género, mas que funciona surpreendentemente bem. Injustice 2 é faz tantas coisas e de forma tão competente que é difícil pensar de que forma é que poderia ser melhor. A Netherrealm fez mais do que seria de esperar e o resultado é um jogo sobe ao pódio do género.

Injustice 2 - Análise Jorge Loureiro Mais do que um jogo de luta. 2017-05-29T11:26:00+01:00 5 5
Publicidade

Comentários (48)

Criar uma nova conta

OU