Eurogamer.pt

Guerrilla fala sobre o desenvolvimento de Horizon: Zero Dawn

Estúdio contou que teve de sair da sua zona de conforto.

Hermen Hulst, director da Guerrilla Games, partilhou recentemente informações sobre o processo de desenvolvimento de Horizon: Zero Dawn.

Hulst afirmou que criar uma nova franquia de tal alcance foi um desafio muito arriscado para o estúdio. Pois para a Guerrilla Games o mais fácil teria sido continuar a trabalhar em Killzone, que já tem uma base de jogadores garantida.

Ele mencionou que a Guerrilla Games teve que sair da sua zona de conforto para chegar ao conceito de Horizon: Zero Dawn. Sobretudo, pela ideia de mundo aberto, ambiente pós-apocalíptico e os monstros mecânicos. Hulst referiu ao site Glixel que a equipa de produção encontrou o conceito do jogo depois de reuniões contínuas ao longo de 2 meses. Para além disso, o próprio Hulst pediu aos trabalhadores da Guerrilla Games que o próximo jogo do estúdio não fosse do género de corridas ou puzzles.

No total a Guerrilla desenvolveu 36 ideias para o possível novo jogo. De todos essas projectos, apenas 5 foram apresentados comos jogos, dos quais apenas 2 foram aceites pelo estúdio. Um deles era Horizon: Zero Dawn. Sobre a escolha final por este jogo, John Gonzalez, director narrativo, comentou que, "Acredito que sabiam que tinham algo potencialmente muito especial, mas também algo que iria mais além das competências estabelecidas do estúdio".

Apesar de dar um passo gigantesco de um shooter na primeira pessoa para o mundo aberto de Horizon: Zero Dawn, a Guerrilla Games fez um excelente trabalho. Prova disso é que o jogo vendeu 2.6 milhões de cópias nas suas duas primeiras semanas nas lojas.

Horizon: Zero Dawn é um exclusivo PlayStation 4, podem ler a nossa análise onde levou selo de jogo obrigatório.

Publicidade

Comentários (30)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!