Eurogamer.pt

Nintendo Switch: a hora do tudo ou nada

Em contagem decrescente, que mais surpresas pode revelar a Nintendo?

Entramos já na derradeira fase da contagem decrescente para o evento de apresentação da Nintendo Switch. O evento será transmitido para todo o mundo, a partir de Tóquio, no dia 13 de Janeiro. Em Portugal, a transmissão poderá ser acompanhada a partir das 4 horas de sexta-feira e terá áudio em inglês. Neste evento a Nintendo irá finalmente revelar o preço, a data de lançamento, as funcionalidades da Switch e o conjunto de jogos que estarão disponíveis quando a consola chegar ao mercado. O evento vai marcar também a estreia de Tatsumi Kimishima (o CEO da Nintendo) na apresentação de uma nova consola da Nintendo, sucedendo a Satoru Iwata.

Inicialmente designada por NX, o nome de código estabelecido pela Nintendo, só em Outubro do ano passado é que finalmente se ficou a saber a designação final como Nintendo Switch. Através de um "trailer" que serviu sobretudo como aperitivo e para lançar as bases sobre o funcionamento da consola, é a partir do dia 13 que tudo ficará mais claro. Será colocado um ponto final após meses de especulação em torno do preço, das capacidades da consola, do seu funcionamento peculiar e sobretudo dos jogos que irá correr.

Depois de uma fase marcada pelo insucesso da Wii U, na qual em 4 anos a Nintendo não conseguiu convencer os mesmos utilizadores e jogadores que abraçaram a Wii, a aposta na Switch revela uma proposição diferente, mostrando que a Nintendo quer corrigir muitas coisas que correram mal e encontrar um novo rumo de acordo com a sua visão. A Nintendo é a mais antiga fabricante de consolas presente no mercado de videojogos. Em vários momentos foi capaz de conquistar o mundo, vendendo milhões de sistemas, deixando satisfeitos milhões de utilizadores, seja em formato portátil ou doméstico, embora tenha experimentado o sabor da derrota, com expectativas e objectivos que ficaram por cumprir. No entanto, a cada novo lançamento, surge sempre determinada em arriscar algo novo, diferenciando-se das demais (depois da fase GameCube), apostando num conceito diferente.

Ainda é cedo para perceber se a Switch será um sucesso ou não. Diversos factores serão cruciais para que a consola ocupe uma posição "mainstream", isto é, um lugar no qual todos querem estar. Foi assim com a NES, com a Nintendo DS e sobretudo com o caso mais recente e visível, a Wii. No entanto, circunstâncias diferentes nesses momentos contribuíram para o sucesso. Com a Switch, a Nintendo dá sinais de apostar na transição para a experiência portátil do jogo em formato doméstico, na capacidade para o multiplayer fora de casa e na acessibilidade dos comandos e jogos. No fundo, uma experiência que se pretende acessível, simplificada e gratificante, quebrando algumas barreiras e entraves. O preço é um ponto crucial, uma vez que é um factor premente, tantas vezes a primeira coisa para que os utilizadores olham. Já vimos como a Nintendo consegue colocar consolas a voar e stock a tornar-se limitado quando acerta nas suas contas, mas isso não é tudo. O conceito, quando apelativo e persuasivo, é mais de meio caminho andado para o sucesso. Basta atentar como a Nintendo conseguiu equilibrar esses dois factores com a Wii.

Os jogos também ocupam um papel central, sejam eles oriundos dos diversos estúdios da Nintendo, sejam de outras produtoras e editoras. O line up é um factor importante. Conseguir no primeiro dia um jogo como Breath of the Wild, o Zelda inicialmente apontado para a Wii U e agora colocado em rota de lançamento da Switch, significa ir ao encontro das expectativas dos numerosos fãs da série, ao mesmo tempo que é um daqueles jogos que ajudará a compreender melhor o conceito da consola.

Nas últimas semanas assistimos a um avolumar de rumores e revelações; dos jogos, ao preço e às especificações, muita água passou, retirando até algum efeito útil à sessão de apresentação mundial da Switch. Mas tudo o que não está confirmado pela Nintendo não pode ser dado como oficial. E como a longa espera está finalmente a terminar, nada melhor que aguardar com paciência. Afinal, já faltou mais. Apesar da hora algo invulgar para nós, acordar às quatro da manhã para saber todas as novidades antes que o dia principie será uma forma de regressar ao sono com menos sonhos e mais certezas.

"O Eurogamer Portugal vai estar presente em Londres, no dia 13, para um evento de apresentação mundial da Switch"

Mas, as novidades em torno da Nintendo Switch não vão ficar por aqui. A partir da madrugada do dia 13 a Nintendo vai proporcionar uma série de eventos de contacto com a consola para os média. O Eurogamer Portugal vai estar presente em Londres, no dia 13, para um evento de apresentação mundial da Switch. Nesse evento teremos a oportunidade de pegar na consola e jogar alguns dos títulos que estarão presentes na data de lançamento. É um momento único, a oportunidade para recolher as primeiras impressões e compreender o conceito e a sua dimensão. Da nossa parte podem esperar uma cobertura extensiva, na medida em que tentaremos mostrar e revelar aqui, ao máximo, os detalhes e as impressões dos novos jogos.

Dando seguimento a uma longa tradição do Eurogamer Portugal em estar presente nos grandes eventos de apresentação das consolas, cumpre referir que a Nintendo Switch é a terceira consola da Nintendo cuja apresentação acompanhamos. Em 2011 estivemos na apresentação da Nintendo 3DS, em Amesterdão, e ainda nesse ano marcamos presença na E3 (um hábito há muito adquirido), em Los Angeles, que trouxe a revelação da Wii U, naquela que seria a última conferência da Nintendo no formato antigo. O Eurogamer Portugal continua assim a acompanhar os grandes eventos no sentido de proporcionar aos seus leitores e comunidade todas as novidades e informações. A partir de Londres e por cá, publicaremos tudo o que é relevante sobre a próxima consola da Nintendo.

Publicidade

Comentários (32)

Criar uma nova conta

OU