Eurogamer.pt

The Witcher 3: Blood and Wine - Análise

Um grande adeus à série da CD Projekt.

Confesso que The Witcher 3 não me conquistou da primeira vez. Embora a CD Projekt tenha criado um mundo fantástico, detalhado, e cheio de histórias interessantes e sítios para explorar, algumas das suas imperfeições impediram-no de entrar para a lista dos meus jogos favoritos. Agora, mais de um ano após o lançamento e com duas expansões lançadas, voltei a The Witcher 3 para saborear Blood and Wine, a segunda e última expansão. Esta expansão é especial por duas razões: é a maior expansão do jogo e funciona como despedida da série. É isso mesmo, depois de Blood and Wine a CD Projekt não voltará a tocar em The Witcher, pelo menos num futuro próximo, até porque o estúdio polaco virou agora a sua atenção para Cyberpunk 2077, o seu próximo jogo.

O regresso ao mundo de The Witcher 3 foi uma surpresa agradável. Com um ano de actualizações em cima (o jogo está neste momento na versão 1.21), o jogo está mais maduro e polido. Existe uma opção alternativa na movimentação de Geralt, que torna a resposta dos controlos mais agradável, e no geral os combates estão mais fluídos, se bem que ainda possam ocorrer alguns momentos estranhos. O cavalo de Geralt, Roach, continua a ser a fonte de alguns problemas, por vezes atravessando texturas ou colocando-se em sítios nos quais não conseguimos subir para cima dele, mas estas falhas não arruínam a experiência. Blood and Wine é uma expansão com coisas boas para oferecer, principalmente se gostaram e devoraram os conteúdos da história original.

Quais são os conteúdos de Blood and Wine? A expansão traz uma nova área gigante para explorar repleta de novas quests e de pontos de interrogação no mapa para investigarem. A nova área, chamada Toussaint, é claramente inspirada no sul da França. É uma terra muito diferente do Norte, que não foi afectada pela guerra e por isso é muito mais convidativa. Toussaint está cravada por rios azulados à beira de colinas verdejantes. A região é famosa pela sua variedade e qualidade de vinhos, pelo não é incomum encontrarmos vimeiras ou garrafas de vinho em sacos de loot. As propriedades desta região também permite melhor ao jogo exibir os seus gráficos impressionantes (tendo em conta a dimensão do mundo), já que Toussaint é visualmente mais apelativa do que a região por onde passámos anteriormente.

Mais sobre The Witcher 3: Wild Hunt

A história começa com um convite da governante de Toussaint, que envia uma carta a Geralt pedindo-lhe para viajar até à região e caçar uma besta que está atacar pessoas importantes da região. A recompensa é grande, e logo de imediato Geralt recebe uma propriedade na região. Pela primeira vez, temos um sítio ao qual podemos chamar "casa". Se quiserem brincar aos Sims, até podem decorar o interior e exterior da casa, mas também podem comprar coisas úteis como ferramentas para afinarem as vossas armas e armaduras. Esta é apenas uma das novidades da expansão. Podem contar ainda com modificações genéticas avançadas, que permitem a Geralt ter mais vantagens nos combates e desbloquear espaços extra para equiparem mais habilidades.

Há duas formas de começar a jogar a expansão. Se jogaram a história original e estão pelo menos a nível 30, podem importar a vossa personagem para a expansão e preservar todos os vossos itens e progresso. Se ainda não acabaram a história original mas querem saltar logo para a expansão, existe a opção de criar uma personagem a nível 34, que está preparada para enfrentar os desafios de Blood and Wine. Importa salientar que não precisam da expansão anterior, Hearts of Stone, para jogar Blood and Wine. Quanto à história, é isolada e pode ser desfrutada com pouco ou nenhum conhecimento do que aconteceu antes, mas num mundo tão rico como este, naturalmente a experiência será intensa e interessante para quem já está familiarizado com Geralt e os seus conhecidos.

Embora a quest principal seja a maior de todas e a que está melhor desenvolvida, existem várias quests secundárias que merecem a vossa atenção. Por exemplo, as modificações genéticas avançadas são desbloqueadas através de uma quest secundária. É também através das quests secundárias que encontram os diagramas para as novas armaduras de qualidade Grandmaster (existem seis no total, uma de cada escola dos Witchers). As armaduras custam um balúrdio a fabricar, além de exigirem vários recursos raros, mas são as melhores armaduras que podem encontrar e garantem bónus extra se equiparem o conjunto completo. Nem todas as sidequests são tão entusiasmantes. Uma delas requer que por Toussaint fora exterminemos as criaturas de grutas para que estes locais sirvam para guardar e amadurecer os vinhos. Esta é uma daquelas quests em que matamos as criaturas e está feito, não havendo uma história cativante por detrás.

a

Beauclair, a capital de Toussaint, é apenas uma das paisagens magníficas desta região.

"Blood and Wine é denominada de expansão, mas na realidade bem que poderia ser um jogo completo"

Blood and Wine é denominada de expansão, mas na realidade bem que poderia ser um jogo completo. A quest principal demora algures entre 8 a 10 horas a ser terminada, e depois ainda têm diversas quest secundárias para completar. Por 19.99 euros, menos de metade do preço de um jogo novo, receberão conteúdos de qualidade que facilmente excedem as 20 horas de longevidade. Algo a salientar é que depois de chegarem ao fim da quest principal, ainda existe vontade para explorar o resto. Toussaint é uma região encantadora e cheia de mistérios que nos encoraja a explorar todos os cantos. Ao explorarem serão recompensados com tesouros valiosos, armaduras raras e materiais de crafting que normalmente custariam um balúrdio.

Na quest principal terão que enfrentar vários dilemas, isto é, decisões morais. Embora inicialmente a história pareça simples, na verdade é muito mais complexa e profunda. A história é envolvente e as suas personagens convincentes e marcantes. Tornando o nosso dilema ainda maior, não existe um lado bom e um lado mau, pelo que dei por mim a tentar encontrar a melhor solução para todos as personagens envolvidas na história. O final, que tem duas variações, depende das vossas decisões e opções de diálogo ao longo da quest, portanto, pensem bem antes de fazerem ou dizerem qualquer coisa, caso contrário poderão ser encaminhados para o final negativo.

Em suma, Blood and Wine é uma excelente adição a de The Witcher 3 e que sem dúvida agradará aos fãs dos jogo. A nova região é grande e lindíssima, a nova quest oferece uma boa história e a oportunidade de conhecer mais personagens deste universo, e existe uma boa quantidade de sidequests. Como presente de despedida, esta expansão não podia ser melhor, dando aos fãs mais daquilo que adoraram no jogo original. Pessoalmente, diria até que a expansão consegue ser melhor do que o jogo, já que dei por mim a desfrutar mais de Blood and Wine do que os conteúdos originais.

The Witcher 3: Blood and Wine - Análise Jorge Loureiro Um grande adeus à série da CD Projekt. 2016-06-08T11:13:00+01:00 4 5
Publicidade

Comentários (55)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!