Eurogamer.pt

Halo: The Master Chief Collection - Análise

The One!

Halo: The Master Chief Collection só não suprime a vaga em aberto para o próximo capítulo da série.

Num artigo publicado no jornal El País em 2012 por ocasião dos Jogos Olímpicos em Londres, um periodista respondia à pergunta sobre quais as modalidades olímpicas mais exigentes. Nada mais nada menos que a maratona e o boxe (a ordem é indiferente). Hoje, sem essa delimitação e mais em jeito de desafio supremo, aponto para as 45 missões que integram este Halo: The Master Chief Collection na dificuldade lendário. Vejo a "playlist" Master Chief Saga, disponível numa secção própria, entre outras "playlists", como um convite dirigido aos que à distância dos 13 anos de Halo: Combat Evolved (um dos títulos centrais da Xbox) aceitam percorrer de enfiada os quatro episódios da série Halo, encontrando no soldado geneticamente modificado a figura central.

Numa primeira linha de visados pela colecção, o termo mais certo para a caracterizar, estão os fãs de sempre, mesmo tendo eles acompanhado e finalizado cada jogo para a sua respectiva plataforma. São eles os primeiros a querer juntar esta peça de software aos jogos da série que possuem, qual bíblia sobre o Master Chief. Os jogadores mais nostálgicos quererão conservar as cópias originais mas voltar a combater nos mapas multiplayer de Combat Evolved ou Halo 2, só por aqui. Reunir todos os conteúdos dos jogos lançados com as respectivas estruturas multiplayer e mais uma série de desafios seleccionados é um projecto mais ambicioso que uma singular remasterização para a alta definição de uma produção recente e nisso esta colecção diferencia-se do alinhamento mais tradicional.

1

Um só botão a separar o passado do presente.

Nunca em nenhuma geração de consolas as remasterizações ocuparam um espaço tão central no mercado como agora. Antes desta recente vaga, estes relançamentos ligavam-se à indústria da música e do cinema. Não tardaram a penetrar no mercado dos videojogos, por vezes apressadamente, em prejuízo da pretendida qualidade e no intuito de colmatar um vazio até ao próximo jogo. Com muitos acrescentos de alta definição de qualidade duvidosa e voltados apenas para a entrega de conteúdos descarregáveis para os originais, esta colecção do Master Chief reúne quatro grandes jogos, embora só um deles tenha sido alvo de mais produção e trabalho: Halo 2, talvez o jogo prioritário deste naipe. Os outros títulos foram trabalhados e oferecem um desempenho significativamente melhorado na comparação com os originais.

10 anos de Halo 2

Mais sobre Halo: The Master Chief Collection

A Microsoft prometeu números quando revelou a colecção na última E3, e eles aí estão. Resolução de 1080p (a excepção é Halo 2) e 60 fps. E embora a segunda aventura do Master Chief não esteja na resolução máxima, é dos quatro jogos o que opera o melhor salto qualitativo. Halo: Combat Evolved Anniversary recebeu alguns retoques do mesmo jogo lançado para a Xbox 360 em 2011, bem como Halo 3 e 4. Halo 2: Anniversary, à semelhança da edição aniversário de Combat Evolved, oferece a transição entre gráficos clássicos e remasterizados a partir de um simples toque no botão. São dois sistemas gráficos que correm ao mesmo tempo, numa alternância que se pode executar em qualquer momento do jogo.

2

A saga Halo: 45 missões consecutivas.

O tratamento gráfico dado ao jogo não é menos impressionante que o visto em Combat Evolved, tendo ainda a vantagem de apresentar cenas cinematográficas com vincada qualidade (tarefa desenvolvida pelo estúdio Blur), a intervalar as missões. O resultado deste esforço eleva a performance de Halo 2, o que faltava (e se esperava) para colocar esta segunda incursão em sintonia com os restantes capítulos. A alternância entre o grafismo e os seus efeitos quanto à jogabilidade poderão dar origem a diferentes sensações. Haverá quem prefira o formato clássico aos gráficos remasterizados (o tempo não apaga certos hábitos) mas em bom rigor depende da nossa adaptação. Talvez a menor produção gráfica isole um pouco mais os elementos do jogo podendo dar uma melhor sensação em termos de impacto, ao passo que no grafismo remasterizado a envolvência e sobretudo os efeitos de luz proporcionam mais ambiente. De qualquer modo Halo 2 vai ser o ponto de partida para muitos jogadores.

Trailer de lançamento de Halo The Master Chief Collection

Ter as quatro campanhas disponíveis e escolher imediatamente uma das 45 missões como quem folheia o livro à procura de um capítulo, é um dos maiores argumentos que pesam nesta colecção. Mas os produtores foram mais longe e criaram uma secção só com "playlists". Nela encontram os mais variados desafios. Em destaque está a Master Chief Saga: 45 missões consecutivas, a "maratona" "Halo". Outra selecção envolve as quatro missões finais. O critério de selecção é muito alusivo à temática da série, constituindo diferentes incentivos para os fãs.

3

Todas as campanhas, mapas, modos de jogo e conteúdos extra.

Em termos de estrutura online, se o multiplayer de Halo 2 relembra as virtudes do serviço Xbox Live da plataforma original e o bom trabalho da Bungie em termos de mapas, é o sistema de combate em rede de Halo 3 o dominante, claramente o melhor da saga, a partir daquela variedade colossal de opções. Todos os mapas e modos de jogo foram especialmente recuperados, remasterizados e entregues em toda a glória da resolução gráfica. No entanto a colecção está longe de se cingir apenas aos quatro jogos. Há mais conteúdos como o Halo TV, um repositório de relevantes informações com notas e apontamentos sobre momentos particulares das campanhas, dando sequência a certos pontos da narrativa, algo que os fãs apreciarão. O bilhete para a beta de Halo 5, quando disponível, não deixa de ser uma opção valiosa, especialmente a partir de Halo Nightfall, os episódios produzidos por Ridley Scott, aguçando o apetite pela próxima entrada na série.

Menção para a boa apresentação e disposição dos menus. Impressiona entrar no jogo e ver os quatro grandes blocos enquanto escutamos uma selecção dos principais temas musicais. A disposição e organização dos menus é clara e de uma navegação fácil, embora tantos opcionais, selecções e modos de jogo requeiram alguma preparação no primeiro contacto, mas isso também é uma prova da quantidade de conteúdos e opções.

Halo: The Master Chief Collection só não suprime a vaga em aberto para o próximo capítulo da série. A colecção é no entanto um feito, um trabalho produzido com esmero e cuidado a que os fãs da série se habituaram com o selo de qualidade Bungie. Esta colecção remasterizada também é (muito) deles. Está aqui o melhor desse estúdio, que durante anos se dedicou exclusivamente à criação de uma das mais sólidas trilogias da indústria dos videojogos. São 45 gigas bem compostos, em formato download ou em disco. A história e viagem épica do Master Chief.

9 / 10

Halo: The Master Chief Collection - Análise Vítor Alexandre The One! 2014-11-13T12:32:00+00:00 9 10

Comentários (38)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!