NBA 2K14 - Análise

LeBron “Bling” James.

Agradável evolução nos controlos em preparação para a nova geração.

Versão testada: PlayStation 3

Vai ser um ano interessante para os simuladores de basquetebol, especialmente no que à nova geração diz respeito. Acho muito importante que estes tipos de jogos anuais tenham concorrência, que seja pelo menos uma corrida a dois digamos. Primeiro para evitar a estagnação da série, algo que o jogo da 2k já acusa. E depois para permitir abordagens diferentes ao jogo, dar escolha a quem mais importa, os jogadores.

NBA 2k14 ainda lutará sozinho nas plataformas atuais, mas terá a concorrência do simulador da EA mais para o final do ano, já na nova geração. Claro que é expectável um salto na qualidade gráfica dos jogos, mas mais curioso será a forma como escolherão abordar o gameplay, algo que não deverá mudar desta versão, para a que sairá na PlayStation 4 e Xbox One.

A principal novidade, e aquilo que a 2k tenciona que defina o seu jogo, é a mudança nos controlos, agora com uma preponderância muito maior no analógico direito. A tecnologia tem vindo a ser implementada aos poucos nos últimos jogos da série, mas esta suposta "versão final" teve dois anos em desenvolvimento. Agora, continuamos com os comandos básicos atribuídos aos botões normais, mas qualquer drible, simulação e lançamento pode ser realizado com uma combinação pré-determinada no analógico.

Mais sobre NBA 2K14

Inicialmente parece estranho, mas depois de me habituar, passei a realizar quase tudo neste modelo. Quando estou parado ainda prefiro a sensibilidade do botão normal para lançar (quadrado no caso da PlayStation 3), mas para o ataque ao cesto em velocidade, prefiro o analógico. Posso por exemplo dar um toque para o lado contrário à mão da bola, o jogador simula que vai avançar por esse lado, depois realizar um 360º para o outro lado, e manter o analógico na direção do cesto para o atacar. Conseguimos jogadas de belo efeito depois da habituação.

O Training Camp é onde aprendemos a dominar estes novos controlos, ultrapassando uma série de desafios relacionados com dribles passes e lançamentos. É relativamente rápido e simples completar todas as etapas deste modo, mas vão dar por vocês a lá voltar frequentemente para recordar um ou outro comando, até porque NBA 2k14 está longe de ser um jogo fácil. A inteligência artificial das defesas foi consideravelmente melhorada, por exemplo, agora as equipas adversárias adaptam a estratégia no caso de nós fazermos sempre a mesma jogada.

"ainda lutará sozinho na nas plataformas atuais, mas terá concorrência mais para o final do ano"

Algo que nunca vi um simulador de basquetebol fazer, é explicar qual é exatamente o papel de cada posição no court. Isto é facilmente explicável se nos lembrarmos que o público-alvo principal são os fãs da modalidade, para quem isso é "elementar", mas ao mesmo tempo estou certo que existem milhares de pessoas como eu, que conhece as regras básicas do jogo, mas que luta para desenvolver as suas próprias estratégias por desconhecer o papel exato de cada posição.

Uma boa mecânica para educar o jogador no sentido de perceber o que fazer e que decisão tomar ao longo das partidas é o sistema denominado de "Smart Play", que nos aconselha para onde nos movimentarmos ou a quem passarmos a bola, é uma espécie de tutorial "on demand" durante os jogos.

O motivo por que comecei a falar nos controlos, tem a ver com o facto de não existirem muitas mais novidades comparativamente com o ano anterior. Continuam a existir os modos de jogo tradicionais, o Association, MyTeam, Season, ou o MyCareer que apesar de bem montado, me continua a parecer demasiado passivo, passamos grande parte do tempo de jogo a tentar encontrar espaço para receber a bola, ou apenas a admirar as jogadas dos outros jogadores.

Comentários (13)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!