Table Mini Golf - Análise

Vamos jogar Golfe em casa?

Preparem-se para obterem o vosso campo de mini golfe privativo com a realidade aumentada da Sony.

Table Mini Golf já não é dos primeiros títulos a serem lançados para a PS Vita, onde o foco é jogar golf. Jogos como, por exemplo, Everybody's Golf, também lançado para esta portátil comprada via PlayStation Store, utilizam a realidade aumentada, para que os jogadores possam desfrutar de um ponto de vista melhor.

Quem conhece o conceito de Mini Golfe, sabe o que esperar deste jogo desenvolvido pela Foor Door Lemon. E tudo o que é necessário fazer é instalar o jogo na Vita e colocar os cartões de Realidade Aumentada (fornecidos com a consola) numa superfície plana e iluminada, como por exemplo, o sofá, ou a mesa da cozinha. Table Mini Golf é tão simples quanto isto: conseguir fazer chegar a bola ao buraco no menor número de tacadas possível, enquanto evitamos os obstáculos em cenários de acordo com o tema em que estamos a jogar, vendo nascer assim, o nosso campo de mini golfe. De resto, basta usarmos o manípulo esquerdo, selecionando o lugar e a força com que queremos que a bola vá com o X.

Começando pelo menu de entrada, temos as várias opções que o jogo nos oferece, desde iniciar o jogo, ao display do vosso status (desde informações sobre o jogador, ao status dos prémios obtidos pelo modo de torneio, aos vossos scores e um monte de outras informações relacionadas com o jogo), às vossas settings para poderem mudar os efeitos sonoros e a música do jogo, verem os créditos de jogo, ao menu que irá levar-nos ao pódio, onde podem ver os trofeús ganhos via online dos temas jogados e ainda o Club House, as salas onde ganharam os troféus dos ilimitados desafios que têm durante o jogo.

"A Realidade Aumentada acaba por ser uma boa escolha a explorar neste tipo de títulos, por podermos obter variadas perspectivas de vista"

O jogo contém 2 modos: o Jogo Livre e o Torneio de Eliminação. Existe ainda um pequeno tutorial para ensinar os elementos base da jogabilidade. E, um facto interessante da Realidade Aumentada é esse mesmo: podemos controlar o nosso ponto de vista, fazer zoom, controlar a câmara da forma que queremos, definirmos até a nossa perspectiva de terreno de jogo. A única preocupação que se deve ter em conta é que não se deve perder os cartões de vista.

As personagens são 3, cada uma direcionada aos temas existentes do título: a bruxa para o modo Horror, o pirata para o modo Pirate e o boneco vestido de herói para a terra dos brinquedos. O jogador é livre de escolher quem quiser, para progredir durante os níveis do jogo. Pode-se ainda adicionar outros jogadores, via cpu ou com amigos para fazer o jogo.

1

O primeiro cenário entra na onda arrepiante do horror

No modo Jogo Livre, inicialmente, têm apenas um nível desbloqueado, e o único tema que podem começar a jogar é o cenário do terror. Mais para a frente, desbloqueiam o cenário Pirata. Cada um com os mais variados percursos, onde o jogador pode encontrar níveis um tanto acessíveis, como mais difíceis.Existe ainda um terceiro tema, o da terra dos brinquedos, que só será possível jogá-lo se o comprarmos na PlayStation Store ao preço de € 0,99. Este adiciona mais 18 buracos ao total de 36 já introduzidos no jogo, todos eles contendo elementos propícios ao tema, facilitando ou dificultando a passagem de nível ao jogador.

3

A terra dos brinquedos, que só é possível obter através da compra na PlayStation Store

Para progredirem no jogo, a cada desafio completado é-nos dado um número de estrelas correspondentes ao desafio, e a cada grupo de estrelas obtidas vamos evoluindo de nível como jogadores. De iniciantes, podemos chegar até profissionais. Como podem imaginar, a pontuação que se recebe em cada buraco é definida por diversos parâmetros entre os quais estão a distância percorrida pela bola em cada pancada, o uso de objetos para a tabela, a dificuldade da pancada final e, como é óbvio, o número de pancadas utilizadas. Através disso, vamos ganhando troféus, mais precisamente 13 troféus PlayStation por cada desafio e estrela ganha, onde são expostos no Club House.

Quando passamos para o modo Torneio de Eliminação, este coloca o jogador em confronto com quatro adversários, amigos ou ainda através da inteligência artificial, no qual a cada três buracos, o jogador com pior pontuação é eliminado. Apesar da aparente variedade de modos de jogo e percursos disponíveis, quando iniciarem o título pela primeira vez, vão descobrir que para disputarem um Torneio de Eliminação, terão de ultrapassar todos os buracos de determinado tema e dificuldade, bem como que só depois de superarem todos os buracos do tema Horror, podem passar para os percursos do campo de mini golfe pirata. Infelizmente, retira alguma liberdade de escolha aos jogadores e torna a experiência demasiado linear.

A Realidade Aumentada acaba por ser uma boa escolha a explorar neste tipo de títulos, por podermos obter variadas perspectivas de vista, embora haja algumas dificuldades de estabilidade, uma vez que é necessário a deslocação do jogador e pelo facto de, uma vez por outra perdemos o melhor ângulo de jogo.

2

O cenário mais quente do jogo traz-vos uma bela praia na companhia de baús e caranguejos ansiosos por tirarem a vossa bola da rota

"Acaba por ser um jogo deveras divertido para um público infantil que adora ver como é que por magia, a mesa vazia da sala, se transforma num cenário de jogo. "

É uma pena também existirem apenas 3 personagens, todas elas já personalizadas ao ambiente de jogo, ou seja, não há forma alguma de podermos alterar ou construirmos as nossas personagens.

Em termos visuais, tirando o facto de nem sempre obtermos um melhor ângulo de visão, e não ser das opções mais deslumbrantes, o título da 4 Door Lemon não foge ao estilo habitual de jogos deste tipo, ou seja, é simples e de um visual esteticamente agradável, mantendo sempre fiel na linha dos ambientes criados. O jogo oferece cenários diversificados, desde mãos zombieficadas, a aranhas, caixões, passando por canhões, caranguejos, e guilhotinas. As animações do jogo são bastante boas, tendo a bola a interagir de forma credível com os diversos objetos que se encontram espalhados pelos percursos.

Relativamente à banda sonora de Table Mini Golf, esta, para além de manter os assets sonoros muito repetitivos, não me conseguiu conquistar em termos musicais, com a sonoridade também algo apenas por preencher e repetitiva, o que pode acabar por massacrar os ouvidos do jogador, levando-o muito bem a optar por desfrutar o jogo sem sons.

Table Mini Golf foi produzido pela 4 Door Lemon e pela XDev Studios Europe e está disponível na eStore por €1.99.

Em suma, Table Mini Golf foi um jogo que me entreteu, acho interessante o facto de explorarem a realidade aumentada, que requer, sem dúvida, a nossa atenção e acaba por ser um jogo deveras divertido para um público infantil que adoram ver como é que por magia, a mesa vazia da sala, se transforma num cenário de jogo. É um jogo simples que não oferece muita inovação, mas que cumpre todos os objetivos a que se propõe a oferecer. Embora possua um número gigante de desafios, o jogo tem outro senão: só é possível superar um desafio de cada vez. Ou seja, os desafios só podem ser cumpridos sequencialmente, podemos até ter que cumprir um desafio que envolva uma tacada anteriormente já conseguida, o que chega a tornar-se frustrante por termos de repetir novamente algo que já tínhamos feito.

6 / 10

Lê o nosso Sistema de Pontuação Table Mini Golf - Análise Ana Branquinho Vamos jogar Golfe em casa? 2013-04-23T00:00:00+01:00 6 10

Comentários (2)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!