Nano Assault EX - Análise

Toca a limpar essas células.

No seguimento de Nano Assault Neo para a Wii U, como jogo digital disponível unicamente através da eShop, os titulares de uma Nintendo 3DS europeia podem aceder à mesma versão de retalho de Nano Assault, lançado em 2011 exclusivamente para continente norte-americano. Apesar de representar um lançamento europeu algo tardio, nem por isso deixa de assumir relevância, sobretudo pelos retoques que promove.

Em destaque está um shooter totalmente tradicional que possui mecânicas muito similares à congénere versão disponível no final do ano passado para a Wii U. Entretanto a Shin'en Multimédia, a produtora alemã detentora da franquia, adaptou o sistema de comandos do jogo de modo a compatibilizar-se com o acessório Pro Circle Pad, algo que vem facilitar muito mais a operação de combate.

Mas também existem outras melhorias, que fazem desta uma versão mais polida e talvez definitiva para quem ficou fã de Nano Assault Neo. Apesar de abraçar o mesmo conceito, mecânicas e design, a grande valia desta versão para a Nintendo 3DS passa mesmo pelo aproveitamento das propriedades tridimensionais da consola e também por algumas variações ao nível das mecânicas, oferecendo níveis mais diferenciados dentro do modo história. Os visuais sofrem algumas limitações, nomeadamente os efeitos de luz oriundos das explosões e disparos, num efeito fogo de artifício que é menor. No entanto é um jogo bastante apreciável do ponto de vista gráfico e sonoro, revelando novamente o bom trabalho da Shin'en Multimedia.

O arco narrativo possui grandes semelhanças ao de Nano Assault Neo. O jogador assume o comando de uma micro nave enviada em missões sucessivas para o interior de células contaminadas com um poderoso vírus chamado Nano. Recolhendo amostras de ADN de organismos regulares, o confronto é constante contra as criaturas hostis. Estas criaturas são diversificadas e oferecem resistência que pode ser vista através de uma barra quando as alvejámos.

No modo história, o jogador terá à sua frente mais de 30 missões aglutinadas em clusters, constituídos por 5 ou 6 missões. Uma vez vencida a batalha final de cada Cluster, o jogador desbloqueia o mesmo conteúdo para o modo arcade, podendo o jogador, a partir daí, melhorar o resultado de um nível por forma a conseguir um lugar honroso na tabela de classificação mundial.

Nesta versão EX fica a impressão de um ligeiro incremento de dificuldade logo nos primeiros clusters. Três vidas podem revelar-se insuficientes para lidar com tantos inimigos que rapidamente tendem a preencher todo o espaço disponível, como a extensão de certas células obriga a cuidados redobrados no processo de navegação, já que o esgotamento das reservas de créditos obriga ao recomeço. O aumento de dificuldade é também o resultado da utilização dos botões X, Y, A e B para efectuar os disparos automáticos da nave. A pressão exercida sobre eles permite que os disparos sejam efectuados na direcção conforme a sua disposição, enquanto que o analógico esquerdo permite a movimentação do aparelho. Existindo momentos em que os inimigos ocupam quase todo o espaço livre na célula, sobreviver à custa deste sistema de comandos pode ser uma tarefa hercúlea. A utilização do Circle Pad Pro proporciona a rotação devida das armas e torna mais justo e certeiro alvejar os adversários posicionados ao redor da nave. Os gatilhos conservam algumas surpresas, como variações do grau de disparo e poderes especiais.

Muitas das células infectadas apresentam uma composição próxima algo similar aos mundos de Super Mario Galaxy, mas também existem sequências que melhor aproveitam os efeitos em 3D, especialmente os "bosses" que implicam uma interacção em profundidade. A animação e frame rate ressentem-se quando existe um maior aglomerado de inimigos, com visível abrandamento na fluidez de jogo, o que deixa esta versão claramente aquém da desenlovida para a Wii U. Depois, seria expectável contar com a adição de mais alguns níveis, no entanto isso não sucede e em termos de campanha esta versão EX não acrescenta nada de novo.

Entre os restantes principais modos de jogo, destaca-se o modo Boss Rush, disponível após completarem a campanha e que se traduz num desafio que coloca o jogador numa luta constante contra todos os bosses do jogo. Existe ainda um novo modo survival que desafia o jogador a bater todos os níveis somente com uma vida. Para os puristas, estes elementos podem colocar à prova as suas habilidades, e há até uma tabela de lideranças para registar as melhores pontuações. Infelizmente, o jogo não possui qualquer modo multiplayer.

Nano Assault EX acaba por ser um jogo suficientemente agradável e desafiante para o género dos shooters em duas e três dimensões. Mas para extraírem o máximo proveito desta produção da Shin'en Multimedia é essencial que possuam o Pro Circle Pad, pois de outro modo serão sempre perceptíveis as limitações deste esquema de comandos. Podendo ultrapassar isso, nem por isso deixamos de estar diante de um shooter que oferece um apelativo desafio e que se destaca sobretudo pela boa utilização dos efeitos 3D da portátil da Nintendo.

7 / 10

Lê o nosso Sistema de Pontuação Nano Assault EX - Análise Vítor Alexandre Toca a limpar essas células. 2013-03-28T10:45:00+00:00 7 10

Comentários (1)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!