MUD Fim Motocross World Championship - Análise

Quando é que o Motocross se tornou aborrecido?

Comprar um jogo é uma escolha complicada. Existe uma variedade enorme de géneros e sub-géneros, cada um deles com jogos de referência. Mas se estiverem à procura de um jogo de motocross, a verdade é que não têm muito por onde escolher. E com o abandono da THQ da série MX vs ATV, o mercado deste género mais escasso ficou.

Não é de estranhar que MUD Fim Motocross World Championship tenha gerado de imediato um entusiasmo entre a comunidade dos amantes destas corridas lamacentas, com veículos de duas rodas. Com a Milestone a segurar o volante, que tem no seu currículo uma lista considerável de jogos de corrida, embora nenhum de motocross, havia esperanças, para quem acompanha este mundo, de que saísse daqui um jogo minimamente satisfatório .

Associado à licença do FIM Motocross World Championship, o campeonato mundial de Motocross, têm uma oportunidade de ouro para triunfar. O nome na capa FIM Motocross World Championship ajudará, sem dúvida, às vendas, mas como é comum nos videojogos, e algo a que já estamos habituados, ter uma licença não basta cumpra os padrões de qualidade.

Tendo a licença do FIM Motocross World Championship, MUD gaba-se de ser o único jogo com os campeonatos MX1 e MX2, equipas e pilotos do campeonato de 2011, dando a entender que está repleto de conteúdos. Tal promessa vai pelo cano abaixo quando nos deparamos com o ecrã de inicial, onde logo se nota uma escassez de modos.

O modo Tour é o ponto máximo de MUD quando quiserem jogar a solo. O que começa por ser inicialmente divertido, num ápice se torna num aborrecimento, em parte devido à estrutura do modo. O primeiro passo por escolher um de quatro heróis (entenda-se pilotos) e depois resta competir e vencer os muitos eventos disponíveis. O problema é a necessidade de pagar para desbloquear tudo. Todo o dinheiro que ganharem nos eventos terá que ser gasto para desbloquear outros eventos, mas o mais ridículo é que dentro dos eventos há que pagar para desbloquear as corridas.

As habilidades do herói que escolheram podem ser evoluídas com o dinheiro ganho para obter um melhor desempenho nas corridas, mas pouco sobra depois de desbloquear um evento. Isto obriga a uma constante repetição dos eventos anteriores para ganhar dinheiro suficiente para evoluir o herói. Ou então podem participar nos eventos de acrobacias Monster Energy Trick Battle, mas até aqui temos que pagar para desbloquear a grande maioria dos truques.

Mesmo que os modos deixem a desejar, um bom motor de jogo podia salvar ainda MUD e tornar o jogo num espanto enquanto percorremos as pistas lamaçentas. MUD volta a falhar neste ponto crucial. A física deixa muito a desejar, principalmente para um jogo que acarreta no seu nome Motocross World Championship. As motas não se comportam realisticamente, saltam demasiado e não dão a sensação de ter qualquer peso, dificultando algo simples como andar em linha. O único aspeto a louvar é a deformação de terreno em tempo real, transformando as pistas de volta para volta, e uma recriação fiel das pistas onde têm lugar este tipo de provas.

MUD - FIM Motocross World Championship - Grande prémio do Brasil

Para apimentar e tornar mais desafiantes as corridas, a Milestone criou a mecânica "Scrub", uma técnica de Motocross que permite inclinar a mota no ar para ganhar mais velocidade. Para ativar esta técnica basta carregar no "X" (PS3) antes ou durante um salto. Se falharem no timing, cairão da mota e provavelmente serão de imediato ultrapassados por meia de dúzias de pilotos.

"A física deixa muito a desejar, principalmente para um jogo que acarreta no seu nome Motocross World Championship."

Nas corridas online vão poder competir contra 12 jogadores ao mesmo tempo. O matchmaking do jogo funciona na perfeição, não havendo quaisquer demoras a encher uma sala. E não há qualquer evidência de latência. Dominar o arranque torna-se decisivo quanto a jogar contra humanos, pois é meio caminho andado para terminar nas primeiras posições. O arranque requer que carreguem no acelerador e travão ao mesmo tempo, e mal o portão baixe sairão disparados. Façam-no na perfeição e verão os outros a ficar para trás num piscar de olhos.

A banda sonora é uma das poucas coisas de que MUD se pode gabar. A acompanhar o som dos motores das motas há muita rockalhada de ritmo rápido que mantém os ouvidos entretidos enquanto vagueiam pelos modos e decidem em que prova vão participar a seguir. Para além da música, a Milestone revestiu todo o jogo com uma direção artística "cool", que se faz notar sobretudo nos cartazes que povoam os eventos disponíveis e no visual dos heróis do modo Tour. É pena que o jogo não consiga apresentar esta qualidade em aspetos mais importantes como a jogabilidade.

Com um orçamento limitado e um período de desenvolvimento curto, o que se reflete no seu preço de 49,99€, a verdade é que as probabilidades nunca estiveram do lado do MUD Fim Motocross World Championship. Acredito que a Milestone fez o melhor que podia dentro das possibilidades, mas é sempre preferível arriscar um pouco e oferecer algo diferente, do que ficar pelo convencional e lançar um produto que pouco oferece a quem resolver apostar nele .

4 / 10

Lê o nosso Sistema de Pontuação MUD Fim Motocross World Championship - Análise Jorge Loureiro Quando é que o Motocross se tornou aborrecido? 2012-05-25T14:46:00+01:00 4 10

Comentários (5)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!