Lumines: Electronic Symphony - Análise

O futuro do futuro tem este presente como passado.

Olá rapazes e raparigas, sejam bem-vindos à Sinfonia Eletrónica que é Lumines na PlayStation Vita. Originária de 2005 aquando da estreia na PSP, a fórmula que combina puzzles com padrões sonoros e de luz vinda da mente de Tetsuya Mizuguchi e da sua Q? Entertainment está novamente pronta para agraciar o lançamento de um sistema Sony. Agora estamos em 2012 e cerca de 7 anos depois muito já passou e muito, mesmo muito, já foi feito que marca e molda toda a paisagem na qual a série se insere e que na verdade ajudou a formar.

Quando a PSP original foi lançada, Lumines foi aquele título que me deixou completamente abismado, espantado e sem palavras. Muitos, tal como eu, devem ter pensado que Lumines batia até mesmo Tetris no género dos puzzles e a sua jogabilidade de tal forma simples que qualquer um poderia começar a jogar e rapidamente ficávamos encantados. Toda a envolvência sonora e visual davam a Lumines uma fugacidade que nos embrenhava e o encanto era imediato.

Lumines foi um estrondo, mais do que isso, uma sucessão de estrondos a lembrar os melhores fogos de artifício e desde o original que praticamente já foram feitas versões para tudo o que é sistema. Pelo meio chegou por via da distribuição digital, com Lumines Supernova na PlayStation 3 e Lumines Live! na Xbox 360 e a preços mais em conta. Entre 2005 e 2012 estamos já a caminho do quarto jogo, com muitas versões pelo caminho, e em todos eles sentimos que Lumines tem um espírito próprio que se pode associar a uma forma de estar na vida, a uma paixão por algo mais. Perguntem à Q! o que é Lumines e a resposta é bem direta mas entusiasta: é uma fusão de puzzles, luz e som!

Passados 7 anos e Lumines é o que sempre foi, essa espantosa combinação de puzzles sintonizados com os visuais que os patrocinam e em harmonia com a música que os acompanha. Para este Electronic Symphony a Q? pede ao jogador para novamente imergir na ação de puzzles musical sem parar. Fazendo-se munir do factor novidade em redor da PlayStation Vita, Lumines: ES alicia mais uma vez os seus adeptos com os seus visuais e com a sua banda sonora.

A tarefa em Lumines é mais do que simples: temos quadrados que surgem no topo do ecrã e vão caindo sendo necessário que o jogador os rode de forma a que duas faces iguais se juntem, para formarem um quadrado completo e desaparecerem. Encadear sequências de quadrados dá-nos acesso a encadeamentos de pontuação e quando atingida uma certa pontuação passamos para a fase seguinte. Acontece que aqui não temos quaisquer interrupções entre níveis, é tudo seguido e sem pausas, sendo os únicos indicadores de passagem de fase o tema visual e sonora que muda completamente.

"Perguntem à Q! o que é Lumines e a resposta é bem direta mas entusiasta: é uma fusão de puzzles, luz e som!"

Os puzzles de Lumines estão intimamente ligados à sua componente visual, criada em sintonia com a música. O esquema de cor muda, as duas cores que forma os quadrados mudam e todo o fundo fica diferente em respeito ao tema que a Q? acredita melhor combinar com a música. A música essa é um dos elementos fulcrais da fórmula e aqui temos mais de 30 músicas vindas de consagrados artistas como Goldfrapp, Benny Benassi, LCD SoundSystem, The Chemical Brothers, e muitos mais.

Digamos que a banda sonora de Lumines: ES tem tanta qualidade que rapidamente vamos ficar com as músicas na cabeça e procurar por elas pelo YouTube, caso não sejam nossas conhecidas. A simbiose entre o som e a gameplay é tal que a motivação rapidamente se confunde entre ver até que ponto mais conseguimos aguentar e combinar as faces dos quadrados com a vontade de desbloquear mais um tema e a sua música.

Comentários (4)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!