Tekken 3D Prime Edition - Análise

Uma maravilha técnica que deixa a desejar.

Os jogos de luta estão ao rubro, e não só nas consolas caseiras, nas portáteis também. E se têm uma Nintendo 3DS, então só têm motivos para sorrir. Em menos de um ano, a nova portátil da Nintendo já recebeu os maiores nomes do género, começando logo no lançamento com Street Fighter IV e apenas um mês depois Dead or Alive Dimensions. E não esquecer Blazblue Continuum Shift II.

Agora a 3DS recebeu Tekken 3D Prime Edition, um título que promete oferecer a derradeira experiência do torneio de punho de ferro em 3D. Com 41 personagens jogáveis, contando com os antigos favoritos e todas as novas caras introduzidas em Tekken 6, uma framerate que roda a 60 frames por segundo e ainda o filme Tekken: Blood Vengeance como um bónus, é uma proposta aliciante para qualquer fã.

A nível de gráficos e fluidez é cumprido o prometido. A framerate está realmente bloqueada nos 60 frames e daí não sai, o que é bastante benéfico para a jogabilidade, causando uma fluidez equiparável às consolas caseiras. Como seria de esperar, os lutadores e cenários perderam um pouco do seu detalhe, mas continua a ser um feito impressionante para uma portátil.

O efeito 3D torna a experiência melhor e oferece um elevado nível de imersão, é quase como se o ecrã da 3DS fosse um portal e estivéssemos a assistir ao combate em primeira mão. O efeito também é bastante suave, mesmo no máximo, e não causa desconforto nos olhos como noutros títulos (isto tendo em conta a minha experiência pessoal, o impacto do efeito 3D varia de pessoa para pessoa).

Harada vs Ono promove Tekken 3D Prime Edition.

Mal se começa a jogar torna-se evidente que Tekken 3D Prime Edition é baseado em Tekken 6, dada a facilidade com que se pode encadear os ataques dos lutadores criando grandes combos, mesmo quando o adversário já está no chão. Seria preferível que a jogabilidade fosse baseada na de Tekken Tag Tournament 2, que pelo que a demo incluída em Tekken Hybrid deixou antever, corrige esta facilidade do sexto capítulo da série. Mas continua a ser Tekken, e qualquer um que acompanhe esta série de longa da data sentir-se-á imediatamente em casa nesta versão portátil.

Mais sobre Tekken 3D Prime Edition

O jogo controla-se razoavelmente bem na 3DS. O d-pad não facilita e poderá incomodar. Requer alguma habituação, principalmente nos ataques que é necessário carregar diagonalmente, mas passado pouco tempo dei por mim a fazer exatamente os mesmos combos que consigo executar nas consolas caseiras. Se tiverem dificuldades com os controlos, basta carregarem num dos quatro quadrados no segundo ecrã da 3DS para executarem um dos ataques pré-definidos (podem alterar os ataques nas definições). Assim se houver algum ataque com que estão a embirrar, basta associá-lo a um dos quatro atalhos do segundo ecrã.

Até aqui, Tekken 3D Prime Edition dá a ideia que tem todos os ingredientes para triunfar, por isso é que é dececionante ver que peca em algo essencial como os conteúdos. O modo Survival é o melhor que consegue oferecer, e os restantes modos dividem-se em Versus (para o multijogador local e Online), Quick Battle (uma espécie de modo Arcade) e Practice.

O Quick Battle deixa-vos combater contra 10 lutadores e no final passam os créditos do jogo, assemelhando-se assim a um modo arcade. No entanto, não há um boss na luta final como estamos habituados nas versões das consolas caseiras, nem uma cinemática. O modo Survival segue a mesma simplicidade. Neste modo vão lutar contra dezenas de outros lutadores com apenas uma barra de vida (o limite é 100). À medida que vão derrotando mais lutadores, desbloqueiam cartões.

Os cartões são uma grande aposta de Tekken 3D Prime Edition, existindo ao todo mais de 700 para desbloquear, mas na realidade não são nada demais, não passando de imagens retiradas do filme Blood Vengeance e anteriores jogos da série. O jogo não dá qualquer motivo de interesse para desbloquear os cartões, pelo que não se percebe a razão para terem sido incluídos em tanta quantidade.

O online também deixa a desejar. Para começar, antes mesmo de começarmos a jogar, temos que escolher um lutador para associar ao nosso perfil, e será este lutador que ficará pré-definido para o online. Sempre que forem lutar, nunca poderão escolher livremente um lutador. Se quiserem mudar de lutador, terão que antes alterar o vosso perfil, o que acaba por ser cansativo.

Existe a opção de escolher entre um oponente próximo da localização ou de qualquer localização. Em ambos os casos verifiquei latência. Na último opção a latência é mesmo terrível e joga-se literalmente em câmara lenta. Se optarem pela primeira, a latência diminui, mas ainda se faz sentir. Há ainda opção de jogar com um amigo lado a lado.

Isto é tudo o que vão encontrar em Tekken 3D Prime Edition. Seria preferível incluir mais conteúdos, como modos mais elaborados, do que incluir o filme Blood Vengeance, que acaba por valer a pena apenas pelos minutos finais em que está incluído um confronto entre os três Mishima. O resto do filme resume-se a diálogos aborrecidos entre a Alisa e Xiaoyu.

Tekken 3D Prime Edition tinha tudo para ser algo espetacular, mas infelizmente é apenas uma maravilha técnica na portátil da Nintendo. Mesmo com os poucos conteúdos que tem para oferecer, continua a ser altamente viciante e um excelente título para levar com a 3DS quando saem de casa, no entanto, a sensação de algo melhor poderia ter sido feito permanece.

7 / 10

Lê o nosso Sistema de Pontuação Tekken 3D Prime Edition - Análise Jorge Loureiro Uma maravilha técnica que deixa a desejar. 2012-02-19T15:41:00+00:00 7 10

Comentários (13)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!