Eurogamer.pt

Critérios das nossas análise

Assim, desde fevereiro 2015, todos os videojogos que analisaremos contarão com uma breve descrição num parágrafo inicial em destaque, onde daremos uma síntese do que podem esperar do jogo. Para além da descrição resumida em texto, alguns jogos (não todos) poderão ter associado um selo de qualidade, que vão desde Obrigatório, Recomendado ou A Evitar.

Este passo na forma que analisaremos os videojogos significa que deixaremos de estar referenciados no Metacritic. Desde o início do Eurogamer Portugal que temos uma colaboração muito próxima com o Metacritic, o trabalho do pessoal de lá tem sido brutal, mas atualmente achamos que o sistema já não faz sentido, o valor está demasiado diluído, e muitos mais pensam como nós. Por outro lado também não faz sentido com o novo sistema transformar uma nossa análise numa suposta escala de 100, e nem queremos que o Metacritic se sinta obrigado a tal.

Esta mudança tem sido debatida dentro do seio da Eurogamer Portugal há muito tempo, bem como em toda a Gamer Network. Uma alteração destas nunca seria tomada de ânimo leve, e pesando os prós e contras, assumimos esta posição, assumimos uma maior transparência na forma de análise, resultando numa nova (embora já utilizada) polícia de análises.

Isto significa, assim de forma resumida, que iremos ao máximo analisar o videojogo na forma que estiver disponível ao consumidor. A experiência terá que ser a mesma, o produto analisado terá que ser o mesmo. Por isso apenas analisaremos as versões finais de videojogos, e se tivermos acesso antecipado deveremos saber/esperar por qualquer atualização do Dia 1. Nos jogos com apenas online ou fortes componentes online, isto é, que necessitem de muitos jogadores online para que a experiência seja a mais fiel ao planeado pelos produtores, iremos esperar para que isso aconteça, assim apenas serão publicadas essas análises após o seu lançamento.

Os videojogos mudaram, por isso temos que nos adaptar

Os videojogos mudaram imenso nestes últimos anos, muito por culpa dos sistemas sempre ligados em rede, à internet. Um videojogo atualmente já é pensado a 100% levando em conta que todos os jogadores tenham acesso à Internet, e por essa razão as plataformas digitais de vendas de videojogos têm crescido na sua quota de mercado. Já na forma que são produzidos, muitos jogos mudam imenso logo com a atualização do dia 1, ou até mesmo no decorrer das semanas seguintes, demonstrando que muitos jogos são lançados ainda sem estarem terminados.

Como já tínhamos referido na Carta Aberta, existem jogos que têm que ser obrigatoriamente jogados com mais jogadores, em escalas maiores, e não circunscritos a testes fechados. Os universos persistentes já deixaram de ser apenas dedicados aos MMOs, pois atualmente a componente social, a partilha e o "sempre online", são palavras já correntes na comunidade.

Por esta razão temos, e temos feito, que mudar a forma que analisamos um jogo, ou o abordamos. O Depois do Lançamento é muito mais importante atualmente, do que foi no passado. Antes um jogo era jogado em "silêncio", mas atualmente num pequeno clique todos estão a ver o nosso gameplay, toda a comunidade participa e os jogos são explorados muito mais em tempo real que antigamente. É verdade que esta transição não foi de repente, já se passava isto na década passada, mas agora não faz sentido abordar de outra forma o videojogo.

A equipa do Eurogamer Portugal sempre tenta fornecer o melhor conteúdo aos nossos leitores, tentamos sempre fornecer a nossa visão sobre o jogo em causa, e somos verdadeiramente apaixonados por esta arte. Temos respeito pela comunidade e queremos que a nossa palavra seja levada ainda mais a sério, sendo verdadeiros nas nossas opiniões e temos pautado por esta integridade desde a nossa abertura, já lá vão quase 7 anos.

Pontuar um videojogo já não funciona

Sim, é mesmo isso. Não faz sentido atualmente atribuir uma pontuação a um videojogo. Que fique claro. Deixamos de pontuar os videojogos. Os selos são meros indicadores que iremos atribuir quando achamos apropriado (mais em baixo). A pontuação rígida de 1 em 10 (ou qualquer outra escala) tem desvirtuado os videojogos, não mostra o que o produto é na verdade. Os videojogos são tão complexos que é impossível resumir num número. Os videojogos são experiências, que têm uma componente subjetiva de análise. Um jogo que seja fantástico a nível de enredo, personagens intrigantes, bom gameplay, mas gráficos datados e música horrível, que pontuação levaria? Muitos diriam para atribuir pontos por cada parte do jogo. Mas isso é algo estranho quando estamos a falar de uma experiência como um todo. Um jogo com problemas de gameplay poderá ser na mesma um excelente jogo, e se atribuirmos um 7 ou 8 poderá confundir o leitor, pensando que é um jogo mediano.

As pontuações nos videojogos deixaram de fazer sentido. O meio é demasiado complexo para se resumir a uma simples nota no final da análise. Não ajuda o jogador, e nem a própria indústria.

Como funciona o nosso sistema de recomendações

Agora todas as análises contarão com um parágrafo a sintetizar o videojogo, que aparecerá no início de cada análise. Aqui terão a oportunidade de perceber que tipo de jogo é, tentaremos ser o mais diretos possíveis, dando um vislumbre daquilo que poderão contar.

Após isto, alguns jogos contarão com Selos de Qualidade, atribuídos aqueles jogos que queremos separar, sendo então o Obrigatório, Recomendado ou A Evitar.

e

Obrigatório - estes são os melhores dos melhores. São aqueles jogos que o redator sente que tem que o distinguir, que o tem que separar e afirmar que deverá ser jogado por todos. É um marco na indústria e é aquilo que chamamos de verdadeiro videojogo.

r

Recomendado - o nome diz tudo. São aqueles jogos que estão acima da média, aqueles jogos que se destacam por alguma razão. Isto não quer dizer que os jogos não tenham problemas, e aqui é que está a mudança. Um jogo Recomendado poderá ter problemas de design, problemas de som ou gráficos, mas o redator achou tão especial, acha que irá ser apreciado por determinado tipo de jogadores, que é tão divertido e que deve ser jogado. Um jogo que seja tecnicamente fantástico poderá não ser um jogo Recomendado, e um jogo mais simples tecnicamente, mas super divertido, poderá ser.

a

A Evitar - são todos aqueles videojogos que não deverão jogar. Simplesmente não percam tempo com eles. Iremos certamente usar este selo muito pouco, não porque eles não existam, mas porque simplesmente muitos nem chegam à nossa redação. Mas se tal jogo chegar, levará o respectivo selo, pois é um jogo que nunca deveria ter visto a luz do dia.

Deverão estar a perguntar-se, e então os jogos que não terão selo nenhum? Aqui deverão andar a maioria dos videojogos. Tal como referimos no início, deixamos de ter pontuação nas nossas análises. O texto inicial resumido e a análise em si darão uma visão completa do que o produto vale. São jogos que estão no meio termo, jogos em que sentimos que está algo em falta, ou jogos que não trazem novidade nenhuma. Mas tenham em atenção que poderão ser jogos excelentes. Um bom exemplo são as séries anuais. Um jogo que se repete anualmente, apesar de ser excelente mas que durante os anos pouco mudou, apesar de ser bom jogo, poderá não ser Recomendado. Se calhar a versão do ano anterior chega para mais um ano. O texto em resumo será uma linha orientadora se acham que o videojogo é para vocês ou não.

Um esclarecimento acerca do Google

Quando procurarem por análises no Google, vão verificar que as análises do Eurogamer Portugal com uma classificação em estrelas: cinco estrelas para os jogos Obrigatórios, quatro estrelas para os Recomendados, três estrelas para jogos sem selo, e uma estrela para os jogos A Evitar. Isto não significa que estamos secretamente a atribuir notas aos jogos. O Google é hoje em dia uma fonte importantíssima de tráfego que não podemos ignorar e é vital para o site. O sistema de estrelas do Google não é exatamente igual ao nosso novo sistema, mas tem parecenças e não representa de uma forma totalmente errada as nossas análises. Ainda assim, salientamos que o mais importante a retirar das análises será a conclusão final e o resto do texto que a acompanha.

Vamos tentar publicar as primeiras impressões para alguns jogos

Como referimos anteriormente, nos jogos apenas online ou com uma forte componente deste género, apenas vamos publicar as análises depois do lançamento para testar o jogo em condições reais. No entanto, sabemos que os jogadores anseiam por informação no dia de lançamento para tomar uma decisão quanto à compra do jogo. Nesta situações, vamos tentar publicar um artigo onde descrevemos as nossas primeiras impressões em relação ao jogo. Como alternativa, poderemos realizar uma transmissão em direto onde a comunidade poderá tirar as suas dúvidas e assistir a gameplay. Importa que compreendam que um artigo de primeiras impressões não é decisivo, ou seja, as primeiras impressões podem ser positivas, mas depois mais adiante o jogo pode desiludir, ou pode acontecer precisamente o contrário, isto é, as primeiras impressões podem ser negativas e depois o jogo começa a melhorar.

Da nossa parte, esperamos que tenham compreendido os motivos para estas alterações. Acima de tudo, queremos que seja mais fácil para vocês decidir se estão interessados num jogo ou não, e que as nossas análises sejam o mais claras possíveis. Com o antigo sistema de pontuação, transmitir uma mensagem clara estava a tornar-se difícil. Apesar das pontuações continuarem a ser muito utilizadas nos videojogos e outras indústrias, acreditamos que este é o caminho certo a seguir e que as nossas análises vão tornar-se ainda melhores daqui para a frente.

Publicidade

Comentários

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!