Super Monkey Ball 3D

Libertem os macacos!

Versão testada: 3DS

Ao contrário dos jogos de pinball, cujo objetivo passa por manter a bola o maior tempo possível sobre um tabuleiro inclinado, levando-a a chocar contra pontos que funcionam como multiplicadores de pontuação, a tática em Super Monkey Ball é precisamente o oposto: fazer rolar uma bola com um macaco no seu interior sobre o tabuleiro em forma de labirinto até ao ponto de saída, enquanto se tenta recolher o maior número de bananas pelo meio.

Este é um conceito oriundo dos laboratórios da Sega e nos primeiros episódios (SMB 1 e SMB 2) foi notório algum sucesso quando estes produtos foram lançados, no começo do milénio, para a Nintendo GameCube. A boa aceitação da proposta em pouco tempo galgou fronteiras e permitiu a condução do conceito para outras plataformas, mantendo o grosso dos jogos de puzzle, mas acrescentando outros mini-jogos de forma a proporcionar uma melhor acomodação ao "multiplayer".

1

Rola, rola.

SMB detém muitos dos condimentos de um jogo arcade – algo que a Sega lida com extremo conhecimento de causa –, seja pelo colorido emergente, pelas regras elementares e pelo escalonamento dos desafios, muito do registo transpira arcade. Contudo e apesar da Sega ter acrescentado ao longo do tempo alguns modos de jogo inovadores, nesta versão para a 3DS (concebida a partir da congénere para a plataforma iOS) não fez mais do que lugares tradicionais de versões antigas e, para piorar, a utilização que faz do 3D revela-se por vezes incompatível com alguns acrescentos na experiência de jogo.

Uma primeira dificuldade respeita aos jogos de puzzles clássicos. Super Monkey Ball 3D faz uso do giroscópio instalado na consola, pelo que, poderão movimentar a máquina como se estivessem com o tabuleiro nas mãos, conduzindo o esférico na direção pretendida. O problema está na ativação do 3D, pois com todos os movimentos solicitados, torna-se impossível receber o efeito nas devidas condições, causando até algum desconforto. O que significa que têm duas opções; ou utilizam o botão analógico para controlar a bola e aí poderão ativar o 3D até ao máximo, ou então terão de desligá-lo para desfrutar plenamente do sensor de movimentos.

Ainda dentro do modo clássico de SMB 3D, o jogador poderá percorrer uma série de mundos, sendo que cada um é constituído por dez provas. Contudo, em pouco mais de uma hora acabá-los-á, esvaziando-se assim a maior parte do conteúdo, já que este é o modo principal. Por outro lado, alguns puzzles tanto se completam com extrema facilidade, como noutros momentos o ângulo de câmara que persegue a bola não permite perceber até que ponto estamos afastados de uma curva mais apertada ou sequer visualizar algum obstáculo intermédio. Os níveis mais avançados funcionam já como pequenos percursos construídos sob uma forma de serpente, com forma de "esse", pelo que estes efeitos indesejáveis são mais frequentes.

Comentários (14)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!