Pilot Wings Resort

A magia e recompensa do voo.

Aerodinâmica. Sem saber bem como. Magia ou felicidade. Estas são algumas respostas dadas à questão sobre como conseguem os pássaros manter-se lá em cima, no seguimento do desafio lançado pela Creature Comforts.

Mas para um ser humano e entusiasta de aparelhos de voo escolher um dia de sol firme, desimpedido de nuvens, para cruzar os céus encerrando umas acrobacias de relevo deverá proporcionar mais do que uma mão cheia de respostas científicas. Contemplar do cimo a vastidão de uma porção de terra, mais ou menos distante, enquanto que numa operação que se pode classificar como de pura magia, vingam momentos de autêntica liberdade. Ao mesmo tempo, a paisagem e o enquadramento formatam a moldura.

Depois de servir de cenário em Wii Sports Resort e em Wii Fit Plus, a já conhecida Wuhu Island tornou-se cabeça de cartaz em Pilot Wings Resort. É quase uma personagem e, ao mesmo tempo, aberta a novos moldes de exploração; a partir dos céus, num jogo que também pretende passar a mensagem que qualquer jogador é capaz de manobrar determinados aparelhos e arriscar manobras dignas de transmissão televisiva.

Pilot Wings propõe exercícios de voo desde os tempos da Super Nintendo e depois passou para Nintendo 64. Mais de quinze anos depois, a Nintendo optou por conciliar o departamento das figuras de jogador, através dos Miis, com um cenário paradisíaco; uma fuga para deliciosas férias, o que lhe vale a designação de Pilot Wings Resort. A Nintendo aposta assim num conhecido cenário e adapta-o às manobras de aparelho de voo, em arriscadas missões que obedecem a um escalonamento de dificuldade bastante satisfatório, sem nunca deixar de inscrever obstáculos espalhados pela ilha que o jogador terá de fintar. Essa aposta tem ainda mais significado e validade quando pomos no resto da mesa uma nova consola portátil desejosa por mostrar as suas reais capacidades.

Mais sobre Pilotwings Resort

O resultado final é assim uma jornada que lembra a receita de sucesso de um jogo arcade (assim como algumas das suas limitações), embora consiga promover outros pontos de indisfarçável envolvência, especialmente na adaptação ao efeito tridimensional, sendo este um dos jogos que melhor consegue exibir a tão propalada sensação de profundidade. Impressiona passar de uma imagem "flat", se tivermos o efeito desligado, para um esticar em profundidade, como se aquilo que vemos estivesse a decorrer dentro de uma caixa com elementos em movimento gravitacional.

Na realidade, este jogo dá flanco ao efeito e se a decisão da Nintendo foi a de esperar pela 3DS para lançar o jogo, então justifica-se a opção. Desde o notável colorido (haverá diferentes momentos do dia em que serão chamados a pilotar, desde céu azul ao pôr-do-sol, até um cenário nocturno onde se destacam as luzinhas da aeronave e no mar e as linhas de luz na zona de aterragem tal como num aeroporto), até à reprodução de cada pedaço da ilha em permanente aproximação ou distanciamento, consoante os objectivos pedidos na missão. Pilot Wings é uma experiência agradável, tranquila, relaxante, propondo uma boa dose de competição, não sendo com facilidade que se recolhe a maior pontuação possível. Mas também é notória a atenção ao detalhe e prova dessa minúcia é a forma como a personagem Mii se movimenta na Asa-Delta para as direcções e também encolhe o corpo e prepara a aterragem num passo de corrida para não cair.

Em vez de apresentar uma personagem concebida para o jogo, o jogador irá controlar a sua personagem Mii que construiu através do editor de Mii's da 3DS ou então uma outra criada no instante. Esta personagem irá começar por pilotar 3 diferentes aeronaves e, noutras provas, algumas versões melhoradas e distintas dos aparelhos, bem como um fato profissional de esquilo que permite à personagem lançar-se de um ponto elevado e dirigir-se à meta com grande velocidade, embora com alguma capacidade para delinear o trajecto e travar um pouco a velocidade em função das asas entre os braços e no meio das pernas. Haverá ainda uma Asa-Delta com hélices movimentadas a pedais, um aparelho que exige o controlo da resistência da personagem quando imprime mais velocidade.

Antes de enveredar por uma série de competições distribuídas por diferentes categorias consoante a dificuldade, ou seja, começando pela competição bronze até à platina (a mais difícil), o jogador poderá perder algum tempo pilotando os diferentes aparelhos de modo a sentir-se confortável com os efeitos e trajectórias exigidos para cada um. É uma forma de adquirir o brevete e obter o passaporte indispensável para voar.

Comentários (10)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!