Kane & Lynch 2: Dog Days

Sangue, violência e palavrões.

Desde o momento que pus as mãos em Kane & Lynch 2 percebi que iria ser um jogo controverso. Não é propriamente daquele tipo em que toda a gente adora e diz bem dele. Não é nada disso, este é daqueles jogos que divide opiniões, há uns que gostam e outros que odeiam. No fundo não é nada de surpreendente, já o primeiro jogo esteve na mesma situação. Isso é bem visível ao olhar para as notas que recebeu, umas foram altas outras foram baixas.

Obviamente a Io Interactive arriscou muito neste jogo, para ser sincero isso agrada-me. Às vezes é preciso arriscar para ter sucesso, olhem para o caso de Heavy Rain, a Quantic Dream apostou em criar algo que segundos muitos, não iria ter sucesso/aceitação. Não estou nem quero comparar Kane & Lynch 2 a Heavy Rain, são coisas completamente distintas, apenas estou a dar crédito à Eidos por ter arriscado.

O elemento mais controverso e que irá ser criticado por muitos são os gráficos/visuais. A intenção aqui não foi criar um jogo bonito, pelo contrário, é sujo, cinzento e sobrecarregado com um efeito estranho. Este efeito é positivo e negativo. Por um lado ajuda a esconder os defeitos gráficos e a dar um estilo visual próprio, por vezes até consegue criar uns momentos cinematográficos. O problema é que este efeito nem sempre resulta, existem partes em é usado em demasia e estraga a imagem do jogo.

Mais sobre Kane & Lynch 2: Dog Days

Não existe uma grande conectividade com o título anterior, pelo que se estão preocupados em perceber a história (em casa de não terem jogado o primeiro), podem ficar descansados. Kane & Lynch 2 passa-se nas ruas de Shangai, é a cidade em que a personagem Lynch vive neste momento. O inicio-se dá-se quando Kane chega à cidade para ajudar o seu parceiro com um negócio.

O contar da história poderia ser melhor, as cinemáticas são um tanto rápidas, fazem parecer que não foi dada grande importância à história e que o jogo está a correr para o seu final. Para além disto, gostava de ver uma interacção maior entre as duas personagens. Quando Kane e Lynch falam um para o outro, a maior parte das vezes é para trocar uma série de palavrões. Mas os palavrões nem tem grande importância levando em conta as cenas de violência contidas no jogo. Em algumas partes senti que existia a intenção de criar emoções, por alguma razão não consegui levar o jogo a sério, isto porque não sabemos quase nada sobre a vida pessoal das personagens. Kane tem uma filha e Lynch tem uma namorada, é disso que temos conhecimento, nada mais. O jogo falha em criar uma ligação entre as personagens e o jogador, algo que me parecia ser importante e que podia favorecer o título.

Tentar matar alguém que esteja longe pode ser uma tarefa particularmente irritante. Até mesmo em distâncias médias pode ser difícil acertar em alguém. O sistema de mira do anterior parece-me bem melhor. Penso que a intenção com este novo sistema é criar realismo, uma coisa em que o jogo investe muito. Por muito boa que a intenção seja, isso não faz com que a mira seja menos enferrujada, porque é isso mesmo que parece em certas circunstâncias. Ainda por cima é atormentada por alguns erros, por vezes as balas passam miraculosamente pelo meio dos alvos.

Devido a este sistema de mira, a maior parte das armas parecem fracas. Se quiserem eliminar os adversários de forma rapida e eficaz aconselho a sniper. Com outras armas podem demorar vários minutos para limparem uma vaga de polícias.

Comentários (17)

Os comentários estão agora fechados. Obrigado pela tua contribuição!